Estudo do HC mostra que CoronaVac reduziu casos de Covid-19 em 80% e gerou proteção em pacientes imunossuprimidos
Publicado em: 30/06/2021

A diretora clínica do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HC/USP), Eloisa Bonfá, informou que a vacinação com a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, fez os casos de Covid-19 entre os 22 mil funcionários da instituição caírem quase 80% após a segunda dose e gerou resposta imune em um grupo de 1000 pacientes imunossuprimidos. O anúncio foi feito nesta quarta (30) em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

“Depois da vacinação, tivemos uma redução de 50% nos casos após a primeira dose e quase 80% de redução após a segunda dose. E isso ocorreu justamente quando São Paulo estava tendo um aumento expressivo de casos na cidade. Em termos de internação, tivemos 94 internações de colaboradores na primeira onda e apenas 14 na segunda onda”, explicou a cientista.

Outro estudo liderado pelo HC foi a vacinação de 1000 pacientes com doenças reumatológicas – uma pesquisa importante porque envolve imunossuprimidos, uma parcela da população que geralmente tem dificuldade de responder à vacina e produzir anticorpos. “O que nós vimos é que com a vacinação da CoronaVac esses pacientes tiveram uma resposta moderada”, assinalou Eloisa. “O acompanhamento pré e pós vacina mostrou 33 casos de Covid-19 antes da vacinação e apenas seis casos após a vacinação.”

A diretora clínica do HC ressaltou o alto perfil de segurança da CoronaVac. Segundo ela, entre os 22 mil funcionários e os 1000 pacientes imunossuprimidos não foram registrados nem casos moderados e nem efeitos adversos graves.

“Não importa o motivo para se vacinar: proteger você, proteger sua família, poder abrir com tranquilidade seu negócio, poder viajar ou abraçar. Descubra um motivo e não deixe de se vacinar”, reforçou Eloisa. “Nós testemunhamos a corrida da vacina, uma corrida pela vida, e nós apoiamos essa corrida.”

 

Novo lote de CoronaVac

Na noite de terça (29), chegou a São Paulo um novo lote contendo 1 milhão de doses de vacinas prontas enviadas pela Sinovac. Os imunizantes vão passar pelo processo de aferição de qualidade, realizado pela equipe do Butantan, e depois serão encaminhados ao depósito do Ministério da Saúde e ao depósito da Secretaria de Estado da Saúde (a fração que corresponde a São Paulo).

Em paralelo, o instituto trabalha no envase das 10 milhões de doses produzidas a partir dos 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) que chegaram ao Brasil vindos da China no último sábado (26).