CoronaVac é a vacina mais usada no mundo contra Covid-19; já são 1,8 bilhão de doses produzidas, 24% do total de imunizantes


Publicado em: 17/09/2021

De acordo com um levantamento publicado nesta semana pela Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas (IFPMA), a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, representa 24% da produção total de imunizantes contra a Covid-19, com 1,8 bilhão de doses. De acordo com a entidade, que representa a indústria farmacêutica junto à Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada quatro doses de vacina é CoronaVac, o que coloca o imunizante como o mais usado em todo o planeta no combate à pandemia.

De acordo com o relatório, em setembro a produção mundial de vacinas contra a Covid-19 deve ultrapassar a marca de 7,5 bilhões de doses. Cinco vacinas respondem por 95% do volume: além da CoronaVac (1,8 bilhão de doses, ou 24%), as vacinas da farmacêutica chinesa Sinopharm e da Pfizer (empatadas em segundo lugar com 1,65 bilhão de doses ou 22% do total cada), a vacina da AstraZeneca/Oxford (1,2 bilhão de doses, ou 16% do total) e a Moderna (450 milhões de doses, ou 6% do total).

Tanto a CoronaVac quanto o imunizante da Sinopharm são produzidos com a tecnologia do vírus inativado. Em outras palavras, as vacinas clássicas de vírus inativado, cuja tecnologia é conhecida há décadas, correspondem a quase metade da produção mundial (46%, ou 3,45 bilhões de doses).

O Brasil, com 94,849 milhões de doses de CoronaVac já encaminhadas pelo Butantan ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, é o segundo país que mais usa vacinas inativadas, atrás apenas da Indonésia, com 186 milhões de doses, conforme dados do China Covid-19 Vaccine Tracker.

A previsão da IFPMA é que até dezembro terão sido produzidas 12,2 bilhões de doses de vacinas contra a Covid-19. A CoronaVac responderá então por 2,9 bilhões de doses, ou 23,8% do total. Em junho de 2022, a produção mundial de vacinas contra o SARS-CoV-2 deve atingir a marca de 22 bilhões de doses graças ao aumento da produção, que acontece mês a mês, e à entrada de novos imunizantes – como a ButanVac, candidata a vacina do Butantan que será produzida no Brasil e já está na fase de ensaios clínicos.

Segundo o China Covid-19 Vaccine Tracker, do total de 3,45 bilhões de doses de vacinas inativadas chinesas produzidas até setembro (CoronaVac + Sinopharm), 675 milhões de doses foram distribuídas a 109 países. A Sinovac, parceira do Butantan na fabricação da CoronaVac, é a principal fornecedora, com 453 milhões de doses (67%) enviadas a 40 países.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan