Dose de reforço da CoronaVac aumenta mais de 12 vezes o nível de anticorpos de quem tomou duas doses da vacina
Publicado em: 24/11/2021

Pesquisadores chilenos, americanos e chineses constataram que a dose de reforço da CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, aumenta em mais de 12 vezes o nível de anticorpos de quem tomou as duas doses do imunizante há pelo menos cinco meses. Os resultados do estudo “A booster dose of an inactivated vaccine increases neutralizing antibodies and T cell responses against SARS-CoV-2” foram publicados nesta quarta (17) na plataforma de preprints medRxiv.

“Após a dose de reforço, a capacidade de neutralização dos anticorpos aumentou ainda mais do que a relatada duas semanas após a segunda dose. Observamos que, quatro semanas após a dose de reforço, a capacidade neutralizante aumentou mais de 12 vezes em comparação com a resposta cinco meses após a segunda dose, e aumentou mais de duas vezes em comparação com os níveis registrados duas semanas após a segunda dose”, afirmam os pesquisadores, do Instituto Milênio de Imunologia e Imunoterapia, da Pontifícia Universidade Católica do Chile; do Instituto de Imunologia La Jolla, da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos; e da Sinovac.

O estudo foi realizado com 129 voluntários que receberam a primeira dose da CoronaVac de janeiro a março de 2021, e a segunda com um intervalo de 28 dias. Decorridos cinco meses, os voluntários tomaram a dose de reforço. A capacidade de neutralização de anticorpos foi avaliada em 77 voluntários.

Em adultos entre 18 e 59 anos de idade, a capacidade de neutralização dos anticorpos circulantes atingiu seu máximo quatro semanas após a dose de reforço, aumentando mais de 18 vezes em comparação com os níveis registrados cinco meses após a segunda dose, e mais de quatro vezes em comparação com os níveis registrados duas semanas após a segunda dose. A soropositividade nesse grupo chegou a 100% quatro semanas após a segunda dose.

Em um esquema normal de imunização de duas doses com intervalo de 28 dias, o pico na capacidade de neutralização dos anticorpos é atingido duas semanas após a segunda dose. Entre maiores de 60 anos, que correspondiam a 53,2% dos voluntários, os pesquisadores observaram que após a dose de reforço houve um aumento de mais de nove vezes na capacidade neutralizante em relação à resposta observada cinco meses após a segunda dose.

 

Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan