Laboratório móvel do Butantan deverá testar novas vacinas; projeto encerra com 38 mil diagnósticos em SP

Projeto itinerante que percorreu 30 mil km pelo interior do estado de São Paulo vai continuar a monitorar variantes


Publicado em: 27/04/2022

O Lab Móvel, laboratório itinerante do Butantan que realiza exames diagnósticos e sequenciamento genômico do SARS-CoV-2, passará a ser um canal para o teste de novas vacinas do instituto com base na descoberta de novas cepas. A primeira fase do projeto itinerante foi finalizada nesta quarta (27), depois de percorrer 30 mil km, em 122 municípios de São Paulo, fazendo 38 mil laudos de RT-PCR e sequenciando mais de 2 mil amostras desde agosto de 2021.

A expertise usada para agilizar o diagnóstico de casos de Covid-19 no estado continuará sendo aplicada dentro do Butantan, com o monitoramento de variantes circulantes e a adequação de vacinas a partir deste trabalho, afirmou a diretora do Centro de Desenvolvimento Científico (CDC) do Instituto Butantan, Sandra Coccuzzo.

“Todo esse cenário abriu a possibilidade de verificar as variantes dos principais vírus que são estratégicos para as vacinas do nosso portfólio e as já utilizadas pela população de forma muito mais aprimorada. A nossa intenção é utilizar processos que deem celeridade e qualidade necessárias para que todos os testes que estão sendo propostos melhorem nossa apresentação”, disse ela, durante cerimônia de encerramento do projeto, que reuniu a equipe do Butantan, imprensa e autoridades dos municípios de Aparecida, Bauru, Piracicaba, Ribeirão Preto, Marília, Araçatuba, Olímpia, Santos e Mogi Guaçu.

“Estamos integrando essa capacidade de fazer o sequenciamento, as análises de soroneutralização – quando os anticorpos neutralizam as cepas – e trazendo para o Butantan essa facilidade de enxergar todos os dados”, completou Sandra.

Finalizado em março deste ano, o projeto itinerante foi criado para identificar os casos de SARS-CoV-2 no interior paulista com agilidade, além de reconhecer as variantes predominantes e as regiões mais críticas de cada Departamento Regional de Saúde (DRS). Desde então, o Lab Móvel passou por 12 DRS diferentes, onde sequenciou 2.177 amostras durante 224 dias.

 

Enfrentamento da pandemia

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, lembrou durante a cerimônia de encerramento que graças à capilaridade do Lab Móvel foi possível identificar desde a cepa original da Covid-19 até as variantes subsequentes e sua evolução no estado de São Paulo. Ao todo, a rede de monitoramento de variantes do SARS-CoV-2 do Butantan identificou 40 variantes da cepa original no estado, boa parte delas devido à ação do laboratório itinerante.

“Graças ao projeto, conseguimos identificar um grande número de sequenciamentos, o maior feito no Brasil em termos de Covid-19, e fizemos o acompanhamento da evolução desde a variante inicial, a P1, e a gama, delta e ômicron. E a rede teve a iniciativa fundamental de criar o laboratório móvel, que fez isso em tempo real, ajudando a conhecer em profundidade o que acontecia nos municípios”, disse Dimas.

Estes resultados foram imprescindíveis para a criação de políticas públicas de combate à pandemia em vários municípios paulistas. “Agradeço enormemente o trabalho dos municípios feito em conjunto com o Butantan, inclusive no ponto de vista de estratégias de vacinação como em Serrana, estratégias epidemiológicas como a de Araraquara e na aposta de novos produtos como em Matão e Batatais, que nos prepararam de forma inédita para o enfrentamento de pandemias de forma geral, porque certamente outras virão e o Butantan estará melhor preparado para esse enfrentamento”, concluiu o presidente do Instituto.

 

Entenda o projeto

O projeto Lab Móvel iniciou-se em 4 de agosto de 2021 constituído por um laboratório sobre rodas que percorreria municípios do estado de São Paulo fazendo o diagnóstico e sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2. O objetivo era acelerar o processo de testagem dos casos suspeitos de Covid-19 e aprimorar o monitoramento das variantes do vírus no estado de São Paulo. A primeira parada do Lab Móvel foi no município de Aparecida, na região de Taubaté (SP).

O resultado das análises feitas dentro do Lab Móvel saía em até 24 horas e o resultado era recebido pelo paciente via SMS ou e-mail.

Os moradores das cidades que receberam o laboratório itinerante puderam acompanhar os trabalhos dos pesquisadores graças à estrutura do veículo, de mais de 12 metros de comprimento e quase 3 metros de altura, que contava com uma parte de vidro para a observação dos procedimentos.