Um ano de Projeto S: estudo pioneiro mostra que CoronaVac é eficaz contra Covid-19 e protege também quem não pode se vacinar

Queda de casos graves e mortes, soroconversão de 99% e proteção de não vacinados foram algumas descobertas


Publicado em: 17/02/2022

Com um ano completado nesta quinta (17/2), o Projeto S, estudo de efetividade da CoronaVac conduzido pelo Butantan em Serrana, no interior de São Paulo, comprovou de forma inédita como uma vacina contra Covid-19 é capaz de salvar vidas e mudar todo o curso da pandemia, reduzindo mortes, casos graves e hospitalizações, principalmente de idosos, e protegendo inclusive as pessoas não vacinadas. Todos os resultados divulgados até então são evidências do mundo real que comprovam que a CoronaVac é uma vacina segura e eficaz contra o SARS-CoV-2.

As conclusões mais recentes do Projeto S mostraram que as taxas de soroconversão (produção de anticorpos) entre os imunizados com a CoronaVac são mantidas acima de 99% mesmo depois de seis meses da segunda dose. Além disso, a dose de reforço da CoronaVac em idosos aumentou de duas a quatro vezes os níveis de anticorpos. Essas análises fazem parte da etapa sorológica, cujo objetivo é avaliar a imunidade de longo prazo nos vacinados.

A proposta inicial do projeto era acompanhar a população de Serrana durante um ano, se encerrando em fevereiro de 2022. No entanto, a equipe pretende solicitar a renovação da pesquisa e estendê-la por mais um ano, para continuar avaliando a duração da imunidade e também o impacto das variantes do SARS-CoV-2 – necessário no atual cenário de altas taxas de transmissão.

 

Redução de casos graves e proteção indireta

No total, foram vacinadas 27 mil pessoas, representando 81,3% da população adulta e 60,9% da população urbana de Serrana. A CoronaVac preveniu 80,5% dos casos sintomáticos de Covid-19, 95% das hospitalizações e 94,5% das mortes. Quando a população vacinada atingiu 52%, também foram observados efeitos indiretos, protegendo quem não tomou o imunizante. A efetividade geral da vacina em toda a população, incluindo os não vacinados, foi de 48,1% para prevenir casos sintomáticos, hospitalizações e mortes. O número de casos de Covid-19 em crianças e adolescentes, grupo não vacinado, também foi reduzido.

 

Idosos foram os mais protegidos

A efetividade da CoronaVac nos indivíduos acima de 60 anos foi ainda maior do que a observada em outras faixas etárias, se mostrando semelhante à da população inteira: 86,4% para casos sintomáticos e de 96,9% contra hospitalizações e mortes. Os idosos representaram 16% dos vacinados no estudo (4.320 pessoas).

 

Metodologia pioneira no mundo

O Projeto S é o primeiro estudo clínico do tipo randomizado escalonado a demonstrar a eficácia de uma vacina no mundo real e o seu efeito indireto na população não vacinada, conduzido durante uma pandemia e sem grupo controle. Essas características também possibilitaram a vacinação segura e proteção de todos os participantes, já que nenhum deles recebeu placebo.

Com um método inovador, pesquisa escalonada por conglomerados, os cientistas dividiram o município em 25 áreas, formando quatro grupos identificados por diferentes cores: verde, amarelo, cinza e azul. Os grupos foram vacinados em períodos distintos, em ordem sorteada publicamente.

O Projeto S também contribuiu para aumentar a confiança das pessoas na vacina, informando a população sobre os dados de eficácia da CoronaVac a cada etapa do estudo e envolvendo influenciadores e autoridades locais na campanha de imunização.