Ômicron representa 100% das variantes circulantes no estado de São Paulo, segundo Rede de Alerta

Boletim epidemiológico identificou também queda da incidência de Covid-19 em 11 Distritos Regionais de Saúde


Publicado em: 03/03/2022

A variante ômicron correspondeu a 100% das amostras positivas para a Covid-19 sequenciadas no estado de São Paulo entre os dias 5 e 12/2, na 6ª semana epidemiológica de 2022. É isso que mostra o último boletim epidemiológico da Rede de Alerta das Variantes do SARS-CoV-2, coordenada pelo Instituto Butantan e que acompanha a incidência dos casos positivos de Covid-19 e identifica as variantes mais circulantes no estado.

Na 6ª semana epidemiológica, foram identificados mais 732 casos de ômicron dentre as amostras analisadas pela Rede de Alerta, um aumento de 22,78% em relação à 5ª semana epidemiológica (29/1 a 5/2). Em 2022, já são 4.015 casos da variante de preocupação (VOC na sigla em inglês, considerada mais transmissível do que as demais variantes) no estado.

Considerando todas suas mutações, a ômicron já representa 98,92% das variantes do SARS-CoV-2 identificadas neste ano no estado, seguida pela VOC gama, correspondente a 0,54% das amostras positivas, e pela VOC delta, vista em 0,52% dos testes positivos para Covid-19 realizados na população paulista pela rede pública de saúde.

Dentre os 18 Distritos Regionais de Saúde (DRS) que foram analisados na 6ª semana epidemiológica, a incidência de SARS-CoV-2 apresentou diminuição em 11 deles (Grande São Paulo, Araçatuba, Araraquara, Barretos, Bauru, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto e Sorocaba).

No sequenciamento genômico de 2022, até a 6ª semana epidemiológica, já foram sequenciados 4.059 (1,3%) genomas completos de 301.940 (54,2%) casos positivos.