Estudos como o Projeto S podem predizer acontecimentos da pandemia no mundo real


Publicado em: 29/12/2021

A metodologia pioneira de pesquisa escalonada por conglomerados utilizada no Projeto S, estudo de efetividade da vacina CoronaVac realizado na população do município de Serrana, pode ajudar a prever o que acontecerá no mundo real em termos de número de casos e mortes por Covid-19. É o que destacou o diretor do Hospital Estadual de Serrana, Marcos Borges, ao falar sobre a importância do estudo durante o CoronaVac Symposium nesta terça (7).

A pesquisa mostrou, por exemplo, que quando a população de Serrana atingiu o percentual de 52% de vacinados, houve uma diminuição considerável da incidência de infecções pelo SARS-CoV-2. Além disso, foi observado um efeito protetor entre os não vacinados.

“O mesmo ocorreu no Brasil quando chegamos a uma cobertura vacinal de 50%: nós vimos os casos de Covid-19 caírem de maneira muito significativa. Seis meses antes, nós já tínhamos constatado isso em Serrana. Então acaba sendo uma cidade observatório onde você consegue predizer os próximos passos da pandemia”, afirma Marcos.

Além disso, do ponto de vista ético, o especialista destaca que esse modelo de estudo não utiliza grupo placebo – substância sem efeito no organismo, administrada para possibilitar a comparação com o grupo vacinado. Ou seja, todos os participantes recebem a vacina e são protegidos contra a doença, um fator essencial diante da emergência de uma pandemia.

A efetividade da CoronaVac entre os vacinados foi de 95% contra hospitalizações e de 94,9% contra mortes. Ao incluir não vacinados, a imunização provoca uma proteção de 48,1% contra casos sintomáticos, hospitalizações e mortes relacionadas à Covid-19.

 

Consulte a programação do primeiro dia do CoronaVac Symposium

Inscreva-se e participe

Saiba mais sobre o evento