Naja e víbora-verde apreendidas em Brasília são transferidas para o Instituto Butantan
Publicado em: 13/08/2020

12/08/2020 - O Instituto Butantan recebeu na manhã desta quarta-feira (12) sete serpentes exóticas transferidas do Zoológico de Brasília, dentre elas uma naja kaouthia e uma víbora-verde-voguel - espécies peçonhentas - e cinco cobras-do-milho (corn snake), não peçonhentas. A transferência foi realizada após tratativas junto ao IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) para definir o destino das serpentes apreendidas em Brasília (DF) no último mês.

                 

Os animais chegaram no aeroporto de Guarulhos respeitando todos os protocolos de transporte definidos pelos órgãos regulatórios. Após a chegada no Instituto, os animais são registrados, passam por exames clínicos gerais e entram em quarentena por um período de 30 a 40 dias. Somente após este período será definido se esses animais poderão ser destinados para exposição no Museu Biológico ou para atividades científicas e de educação ambiental.

“O Butantan tem um papel atuante em casos como este. Não somos uma entidade fiscalizadora, mas sim de apoio aos órgãos responsáveis. Isso se dá por conta do nosso trabalho histórico com animais peçonhentos e venenosos. Há muitos anos que o Instituto trabalha junto ao IBAMA e Policia Ambiental no recebimento de animais apreendidos, tanto da fauna brasileira, como da fauna exótica”, explica Giuseppe Puorto, diretor do Museu Biológico.

Atualmente o Butantan mantém uma outra naja kaouthia em exposição no Museu, transferida em 2017 após ser encontrada em Balneário Camboriú (SC). Na época, o envio foi viabilizado junto ao Complexo Ambiental Cyro Gevaerd (Zoo Santur).