Estudo chileno com mais de dez milhões de pessoas mostra que efetividade da CoronaVac é superior a 86%, inclusive entre idosos
Publicado em: 03/09/2021

Um artigo publicado no The New England Journal of Medicine nesta quinta (2) mostrou mais uma vez que a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, é efetiva (ou seja, tem eficácia comprovada no “mundo real” e não somente em um estudo controlado de ensaios clínicos) contra casos de Covid-19 e variantes do SARS-CoV-2, inclusive entre as pessoas com mais de 60 anos.

A pesquisa foi realizada no Chile e mostrou que a proteção da CoronaVac foi de 65,9% contra infecções por Covid-19, de 87,5% contra hospitalizações, de 90,3% contra internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e de 86,3% contra mortes. Para o grupo totalmente vacinado acima de 60 anos, a efetividade da vacina foi de 66,6% para a proteção contra infecções, de 85,3% contra hospitalizações, de 89,2% contra internações na UTI e de 86,5% para a prevenção de morte relacionada à doença.

A análise foi feita entre fevereiro e maio com cerca de 10,2 milhões de pessoas. O estudo de coorte (estudo observacional que acompanha indivíduos ao longo de um período de tempo para determinar características e evolução do grupo) contou com participantes acima dos 16 anos cadastrados no Fundo Nacional de Saúde (FONASA), programa nacional de saúde chileno, que cobre cerca de 80% da população.

Os participantes foram divididos em três grupos: não vacinados, vacinados com apenas uma dose e totalmente vacinados. Os testes para detecção da Covid-19 foram exames RT-PCR (98,1%) e testes rápidos de antígeno (1,9%). Durante o período da análise, as UTIs no Chile operavam com 93,5% da sua capacidade.

O país andino tem as taxas mais elevadas de realização de testes para detecção da Covid-19 na América Latina e um sistema padronizado de informação pública para estatísticas vitais ao estudo. O Ministério da Saúde do país utilizou 13,98 milhões de doses da vacina CoronaVac desde o começo da campanha de vacinação, em fevereiro.

Outro estudo de efetividade da CoronaVac foi realizado pelo Butantan no município paulista de Serrana. O chamado Projeto S vacinou quase toda a população adulta do município (28 mil pessoas) entre fevereiro e abril de 2021 e concluiu que o imunizante causou uma redução de 80% no número de casos sintomáticos de Covid-19, de 86% nas internações e de 95% nos óbitos.