CoronaVac tem eficácia de 85% na prevenção de casos graves de Covid-19 em grávidas, mostra pesquisa


Publicado em: 17/11/2021

Uma pesquisa realizada por cientistas brasileiros e britânicos mostrou que a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, teve eficácia de 85% para evitar casos graves de Covid-19 entre gestantes brasileiras. O estudo foi publicado na última sexta (12) na plataforma de preprints SSRN, vinculada à revista The Lancet, e seus autores são da London School of Hygiene and Tropical Medicine, da Universidade Federal da Bahia, da Fundação Oswaldo Cruz, da Universidade de Brasília e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo os pesquisadores, a eficácia do esquema completo de imunização com duas doses da CoronaVac foi de 85% para evitar casos graves de Covid-19, e de 75% na prevenção da progressão dos casos sintomáticos para a forma grave da doença. Nenhuma morte ocorreu entre as gestantes parcialmente ou totalmente imunizadas com a CoronaVac, enquanto que quatro óbitos seriam esperados se a mortalidade fosse a mesma do público não vacinado.

A população estudada foi a de todas as gestantes com sintomas de Covid-19, entre 18 e 49 anos, com registro de teste PCR realizado entre 15/3 e 3/10 de 2021, e registradas no Sistema de Notificação do Ministério da Saúde (e-SUS Notifica). Ao final da triagem, foram selecionados os dados de 19.838 gestantes, sendo que 7.424 (37,4%) haviam testado positivo para Covid-19, e 588 (7,9%) desenvolveram a forma grave da doença. No momento da extração dos dados, 83% das gestantes haviam recebido as duas doses da vacina, enquanto 17% haviam recebido apenas uma dose.

“Um regime completo de CoronaVac em gestantes foi eficaz na prevenção dos casos sintomáticos de Covid-19 e altamente eficaz na prevenção da forma grave da doença”, salientaram os pesquisadores.

Em 17/1, o Ministério da Saúde iniciou a vacinação contra a Covid-19 com CoronaVac. Em 15/3, mulheres grávidas com comorbidades e em ocupações consideradas de alto risco tornaram-se elegíveis para receber a vacina. Em 26/4, a recomendação da imunização foi expandida para incluir todas as gestantes.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan