Em tempo recorde, Butantan finaliza entrega de 80 milhões de vacinas contra gripe para o Ministério da Saúde

Em fevereiro, o instituto já havia enviado dois milhões de doses; vacina também foi exportada para Uruguai e Nicarágua


Publicado em: 02/05/2022

Na última sexta (29), o Instituto Butantan encerrou o contrato firmado com o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, para a entrega de 80 milhões de doses da vacina contra a gripe. Este ano, o envio dos lotes ocorreu em tempo recorde, com a entrega de dois milhões de doses já em 25/2.

A agilidade na campanha de vacinação contra a influenza foi possível porque o Butantan enviou antes do previsto a documentação da produção do imunizante para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 18/2. Os demais lotes foram entregues ao longo dos meses de março e abril.

Disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), a atual vacina contra a gripe é trivalente, composta por um vírus influenza da cepa B e dois da cepa A, os vírus H1N1 e H3N2 – este último do subtipo Darwin, que causou os surtos fora de época no Brasil no final de 2021 devido à sua alta capacidade de transmissão.

Como a gripe é endêmica e sazonal, o imunizante é atualizado anualmente com os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no hemisfério Sul, monitorados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As campanhas de vacinação geralmente ocorrem antes do inverno, quando aumentam os casos da doença.

 

Internacionalização da vacina

Em abril, o Butantan também trabalhou na exportação de 925 mil doses do imunizante contra a gripe para dois países: Uruguai e Nicarágua. A ação foi possível após o instituto, como único fornecedor da vacina nas Américas, ter sido contemplado de forma inédita pelo edital de licitação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que lhe permite expandir mercados e colaborar com as campanhas de vacinação de outros países.

O primeiro passo para a internacionalização da vacina foi a sua inclusão na lista dos imunizantes pré-qualificados da OMS, que ocorreu no início de 2021. A conquista representa um reconhecimento às boas práticas do Butantan na fabricação do imunizante e à sua eficácia para prevenir a doença. Com isso, o instituto pode participar de editais como o da OPAS e exportar não só para países latino-americanos, mas eventualmente para outros continentes.

Com 225 mil doses da vacina da influenza recebidas, a Nicarágua já começou a vacinar a sua população na metade de abril. No caso do Uruguai, as 700 mil doses enviadas pelo Butantan no final do mês representam a totalidade de vacinas que serão usadas em sua campanha de vacinação, de acordo com informações do Ministério da Saúde Pública local.