CoronaVac induz alta resposta imune em pacientes com doença hepática gordurosa metabólica


Publicado em: 21/12/2021

Um artigo publicado na plataforma de preprints SSRN da revista britânica The Lancet mostrou que a CoronaVac é segura e imunogênica para indivíduos com doença hepática gordurosa associada ao metabolismo (DHGM), sendo capaz de induzir produção de anticorpos IgG em 100% dos pacientes analisados.

Participaram do estudo 50 pessoas com DHGM e 50 indivíduos saudáveis para controle, que receberam o esquema vacinal completo de duas doses da CoronaVac. A média de idade foi de 42 anos no grupo DHGM e 40 anos no grupo controle.

Um mês após a segunda dose, anticorpos IgG específicos para proteína Spike foram detectados em 100% dos indivíduos de ambos os grupos. Seis meses depois da imunização, 94% dos pacientes DHGM e 98% dos controles mantiveram a produção de anticorpos IgG. Em relação aos anticorpos neutralizantes, 82% dos pacientes e 90% dos controles apresentaram soroconversão.

O imunizante foi bem tolerado pelas pessoas com DHGM e não teve impacto no status da doença. Além disso, não houve diferença significativa na incidência geral de reações adversas entre os dois grupos e todos os efeitos relatados foram leves.De acordo com os autores, “nosso trabalho é o primeiro estudo prospectivo de uma vacina contra Covid-19 em pacientes com DHGM publicado até o momento. Os resultados sugerem que é seguro e eficaz administrar a CoronaVac em pacientes com DHGM, e que esta vacina não afeta o estado da doença. Portanto, os pacientes com DHGM devem ser incluídos na imunização contra a SARS-CoV-2 como uma população altamente vulnerável com maior risco de morbidade e mortalidade”.

A DHGM é a doença hepática mais frequente no mundo, atingindo quase 25% da população. Está associada a distúrbios metabólicos e cardiovasculares, como obesidade, resistência à insulina, hipertensão arterial, dislipidemia e diabetes tipo 2.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan