Aranhas em casa, na escola, no transporte: devo ter medo delas?

Algumas espécies aprenderam a sobreviver na cidade e a maioria delas não são perigosas; conheça as mais comuns


Publicado em: 12/04/2022

Algumas aranhas aparecem dentro de casa, na escola e nos meios de transporte porque vivem exclusivamente no ambiente urbano. E isso não tem nada a ver com falta de limpeza: é porque elas preferem locais fechados, com pouca luminosidade e com presença de insetos, seu alimento favorito. Por isso, é bem comum encontrá-las atrás do sofá, dentro de armários e tecendo suas teias no teto sob nossas cabeças.

A boa notícia é que a grande maioria das aranhas que vivem dentro ou ao redor de casa não são perigosas, por isso não precisamos ter medo delas. Porém, a maioria é venenosa, por isso não se deve tocar em nenhuma delas. Na dúvida, chame um adulto que poderá tirá-la do local com segurança, explica o aracnologista Antonio Domingos Brescovit, do Instituto Butantan.

“Quase 90% das aranhas que aparecem dentro de casa não trazem perigo para pessoas e animais. Algumas até picam, mas o veneno não tem efeito em humanos porque é muito fraco. É mais comum elas tentarem fugir do que picar”, afirma o pesquisador.

Que aranhas são essas?

As espécies mais comuns que habitam ambientes domésticos aprenderam a viver nestes locais por questão de sobrevivência. Elas são na grande maioria importadas, isto é, vieram de outros continentes desde os tempos da colonização onde se mantiveram nas residências e, em geral, não disputam espaço com as aranhas nativas. Por isso, é comum elas se alimentarem de outras aranhas que tentam entrar em seu território.

“A aranha maria-gorda, por exemplo, deve ter vindo com os navios negreiros da África; a aranha treme-treme veio da Europa e deve ter chegado nas caixas dos primeiros colonizadores; há ainda as que vieram da Ásia, como algumas espécies de papa-moscas”, explica.

Por isso, por mais que se retirem as aranhas de dentro de casa, ou de outros ambientes, elas ou seus parentes voltam porque não sabem viver de outra maneira, conta o pesquisador.

“Um exemplo é a aranha-de-canto-de-parede (Nesticodes rufipes), que é a mais comum nas casas e apartamentos. É uma espécie nativa, mas que saiu diretamente das cavernas e foi morar dentro das casas, onde fica escondidinha nos cantos. Ela pode ser colocada para fora, mas vai voltar para lá”, conta.

Mas não é por que ficam escondidas que essas aranhas são pouco importantes. Elas têm um papel ecológico, ou seja, comem insetos como moscas e mosquitos, que ajudam a limpar as próprias residências onde habitam, explica Brescovit.

Confira uma lista das aranhas comuns em ambientes fechados e domésticos:

Aranha-de-canto-de-parede (Nesticodes rufipes)

 

Aranha Treme-treme (Pholcus phalangioides)

 

Aranha cuspideira (Scytodes thoracica)

 

Papa-moscas (Menemerus bivittatus)

 

Aranhas das mesas (Oecobius navus)

 

Aranha doméstica das fendas (Kukulkania hibenalis)

 

Aranha-gnomo (Triaeris stenaspis)

 

Aranha chata das paredes (Heteropoda venatoria

 

Aranhas de teia das paredes (Misionela mendensis)