Em evento, pesquisadores do Chile vão mostrar impacto e efetividade da CoronaVac na população em geral e entre crianças


Publicado em: 06/12/2021

Nos dias 7, 8 e 9/12, o Butantan e a Sinovac irão promover o CoronaVac Symposium, evento online e gratuito que reúne especialistas internacionais para apresentar e debater dados científicos sobre a eficácia e a segurança da vacina. Três pesquisadores do Chile estarão presentes para discutir seus resultados, que comprovam que a CoronaVac foi capaz de evitar casos graves e mortes no país, inclusive em idosos, e que gera um alto nível de anticorpos neutralizantes contra a cepa original do SARS-CoV-2 e contra as variantes. O imunizante corresponde a 70% das vacinas aplicadas na população chilena.

No primeiro dia do simpósio, às 9h20, o assessor do Ministério da Saúde do Chile, Rafael Araos, professor da Faculdade de Medicina da Universidad del Desarrollo, fará uma apresentação sobre a efetividade da CoronaVac no país – ou seja, a eficácia comprovada no “mundo real”, considerando as adversidades, e não somente em estudos clínicos controlados. Araos é especialista em doenças infecciosas e coordenou uma pesquisa publicada no The New England Journal of Medicine que apontou que o imunizante confere proteção de mais de 86% contra hospitalizações e mortes por Covid-19.

O estudo de coorte (estudo observacional que acompanha indivíduos ao longo de um período de tempo para determinar características e evolução do grupo) foi feito com 10,2 milhões de pessoas com idades a partir de 16 anos entre fevereiro e maio de 2021. A pesquisa também mostrou a efetividade da CoronaVac em idosos: 66,6% para a proteção contra infecções pelo SARS-CoV-2, 85,3% contra hospitalizações, 89,2% contra internações na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 86,5% para a prevenção de morte relacionada à doença.

Saiba mais: Estudo chileno com mais de dez milhões de pessoas mostra que efetividade da CoronaVac é superior a 86%, inclusive entre idosos


 

Proteção contra as variantes

No segundo dia, às 10h, o pesquisador Alexis Kalergis, pós-doutor em imunologia e diretor do Instituto Millennium de Imunologia e Imunoterapia do Chile, falará sobre a segurança e eficácia da CoronaVac em adultos saudáveis. Um estudo coordenado pelo cientista e publicado na revista Frontiers of Immunology mostrou que indivíduos que tomaram as duas doses da vacina apresentaram altas taxas de soropositividade de anticorpos neutralizantes contra as variantes: acima de 97% para a cepa original, mais de 80% para as variantes alfa e gama, mais de 75% para a delta e mais de 60% para a beta.

Outro estudo publicado na mesma revista avaliou a capacidade da CoronaVac de evitar casos graves de Covid-19. De 2.263 indivíduos totalmente vacinados, apenas 45 (1,99%) reportaram infecção sintomática após 14 dias ou mais da segunda dose. Destes, 43 pessoas desenvolveram a forma leve da doença, uma apresentou sintomas moderados e outra, sintomas graves com necessidade de internação. Ambas as exceções foram adultos com mais de 60 anos que apresentavam comorbidades.

Saiba mais: CoronaVac tem eficácia superior a 75% contra variantes alfa, gama e delta; apenas 2% dos chilenos vacinados na fase 3 desenvolveram Covid-19

 

Imunização de crianças

Às 9h do último dia do simpósio, a cientista Susan M. Bueno, professora da Pontificia Universidad Católica do Chile e pesquisadora associada do Instituto Millennium de Imunologia e Imunoterapia, fará uma palestra sobre a eficácia da CoronaVac em crianças e adolescentes, já comprovada por ensaios clínicos desenvolvidos pela Sinovac. O Chile aprovou na última semana o uso da vacina em crianças maiores de três anos – o imunizante já estava sendo aplicado desde setembro a partir dos seis anos, após o Instituto de Saúde Pública do país analisar dados da pesquisa da farmacêutica chinesa.

Atualmente, cientistas chilenos estão conduzindo um ensaio clínico de fase 3 para avaliar a eficácia, imunogenicidade e segurança da CoronaVac em crianças e adolescentes de seis meses a 17 anos. O estudo randomizado, duplo-cego e controlado por placebo terá 14 mil participantes. Segundo informações do governo do Chile, resultados preliminares da pesquisa indicam que crianças apresentam maior produção de anticorpos do que adultos e menos reações adversas.

Saiba mais: CoronaVac é segura e gera forte resposta imune em crianças e adolescentes, confirma estudo