13 perguntas e respostas sobre o Projeto S, estudo do impacto da vacinação que o Butantan realiza em Serrana
Publicado em: 18/02/2021

Para esclarecer como será o Projeto S, estudo científico que vai descobrir o real efeito da vacinação na redução de casos de Covid-19 e na transmissão do novo coronavírus em Serrana-SP, a equipe de Comunicação do Butantan preparou um conteúdo especial, reunindo as principais questões sobre o assunto.

Além da cobertura sobre o Projeto S que você encontra aqui no site do Butantan, acompanhe o site oficial da iniciativa e o perfil oficial no Instagram.

 

O que é o Projeto S?

O que descobriríamos ao fazer um estudo do impacto da vacina em uma população inteira? Essa é uma das perguntas que inspirou a criação do Projeto Serrana. O Projeto S é um estudo clínico que vai monitorar de perto as consequências da vacinação em relação à transmissão da Covid-19 e a capacidade da vacina reduzir o contágio, ou seja, vai indicar qual a efetividade vacinal no controle da pandemia. Para isso, os moradores de Serrana foram cadastrados, estão sendo vacinados e serão acompanhados por mais de um ano pelas equipes do Instituto Butantan, do Hospital Estadual de Serrana e outras instituições locais parceiras. A partir desse acompanhamento, será possível entender, além do impacto da vacinação sobre a doença e sua transmissão, outros aspectos, como a redução na ocupação de leitos hospitalares, a adesão das pessoas à vacinação, a ocorrência de reações adversas e impactos indiretos na economia.

 

Qual a importância do Projeto S?

O Projeto S é um estudo pioneiro e inédito no mundo, que vai trazer dados valiosos para as políticas de saúde no Brasil e no exterior. Atualmente, o que costuma ser feito são pesquisas e estudos que analisam a realidade depois que o programa de vacinação é colocado em prática, ou seja, comparam o cenário pós-vacinação ao cenário pré-vacinação. Em Serrana, cada etapa da pandemia está sendo estudada em pequena escala, para que as conclusões possam ser utilizadas na criação de políticas públicas. As equipes envolvidas no estudo estão analisando não só a situação pré-vacinação, mas cada etapa da vacinação em si e, posteriormente, observarão também seus impactos. Além disso, as análises de pós-vacinação costumam ser realizadas ao longo de vários anos, e não durante uma pandemia.

 

Como os resultados serão acompanhados?

Os efeitos da vacinação serão analisados pela equipe do estudo: desde a realização dos exames iniciais, passando pelo momento da aplicação da vacina, até o acompanhamento de efeitos adversos.

 

O que o Projeto S vai trazer de conclusão para o Brasil e o mundo?

O Projeto Serrana vai analisar a eficiência da vacinação na redução de casos de Covid-19 e no controle da epidemia (sabe-se que a vacina protege contra a doença, mas não seu efeito sobre o curso da epidemia); na transmissão do vírus de uma pessoa para outra (o que indicará se a população terá que conviver com o vírus por muito tempo ou se, ao impedir a transmissão, a vacinação fará com que o vírus desapareça); e o impacto na chamada redução da carga de doença (em termos de economia para o sistema de saúde, ocupação de leitos hospitalares, número de consultas médicas, liberação dos hospitais para o tratamento das outras doenças que nesse momento ficaram em segundo plano). Também serão analisadas questões como a adesão da população à vacinação, a ocorrência de reações adversas e efeitos indiretos na economia e na circulação de pessoas. Além disso, estão sendo testadas ferramentas que podem ser úteis no combate à epidemia: aplicativo de controle da vacinação, aplicativo de acompanhamento de reações adversas, aplicativo de identificação de sintomas compatíveis com o Covid-19, censo geolocalizado em tempo real, entre outras.

 

Quem está envolvido?

O estudo está sendo desenvolvido pelo Instituto Butantan junto ao Hospital Estadual de Serrana, foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa e pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), e é realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e a Prefeitura de Serrana. O estudo está registrado na base de dados internacional ClinicalTrials.gov sob o número NCT04747821.

 

Quem financia?

O Instituto Butantan.

 

Por que o município de Serrana?

Serrana foi escolhida para sediar o Projeto S com base em três critérios: ser um município pequeno; possuir taxa de infecção elevada para que o efeito de vacinação fosse avaliado mais rapidamente; e estar próximo ou conter um centro de pesquisa. Serrana reunia os três fatores e tinha números elevados de Covid-19 comparados a todos os municípios do entorno. Além disso, o município possui um programa de vigilância aprimorada de Covid-19 que permite ter uma estrutura de acompanhamento de casos na população.

 

Onde fica Serrana?

A pouco mais de 300 quilômetros da cidade de São Paulo e a 20 quilômetros de Ribeirão Preto. Serrana tem cerca de 45 mil habitantes.

 

Como foi a preparação de Serrana?

Em outubro de 2020, um Censo da Saúde foi realizado na cidade inteira para cadastrar os moradores por meio de georreferenciamento, o que permite acompanhar o número de casos, exames positivos, internações e consultas médicas. A partir desse mapeamento será possível compreender os efeitos da vacinação em cada área de Serrana e analisar o nível de aceitação da vacina.

 

Em que estágio está o Projeto S?

No dia 6 de fevereiro, foi realizado sorteio para definir a sequência da vacinação. A cidade foi dividida em quatro regiões, cada uma correspondendo a uma cor; no sorteio, definiu-se que a sequência de vacinação seria Grupo Verde (17 a 21 de fevereiro), Grupo Amarelo (24 a 28 de fevereiro), Grupo Cinza (3 a 7 de março) e Grupo Azul (10 a 14 de março). Dessa forma, a vacinação começou em 17 de fevereiro com as pessoas do Grupo Verde nos seguintes pontos de vacinação: EE Jardim das Rosas, EE Professora Neusa Maria do Bem, EMEF Professora Dilce Gonçalves Netto França, EMEF Professor Edésio Monteiro de Oliveira, EMEF Paulo Sérgio Gualtieri Betarello, EMEF Professora Maria Celina Walter de Assis, EE Deputado José Costa e EMEF Jardim Dom Pedro I.

 

Quem vai receber a vacina?

30 mil voluntários acima de 18 anos vão receber a vacina do Butantan, com exceção de mulheres grávidas ou em amamentação e portadores de doenças graves.

 

De onde vêm as doses utilizadas no Projeto S?

As 60 mil doses que serão utilizadas na imunização foram separadas especialmente para o Projeto S e não interferem no Programa Nacional de Imunização (PNI). São vacinas de uso exclusivo do estudo.

 

Para quem recorrer em caso de dúvidas?

Em caso de dúvidas, os munícipes contam com a assistente virtual Tainá, que está 24 horas por dia no WhatsApp para dar suporte e orientar as pessoas sobre quais serviços procurar antes e após a aplicação da vacina. Para ter a Tainá no Whatsapp basta cadastrar o número (11) 4950-8330. Os voluntários também podem ligar para o SAC (16) 99604-3174 e falar com um dos atendentes que estão à disposição para ajudar sobre cadastramento e vacinação. 

 

Saiba mais:

Projeto Serrana vai estudar impacto da vacinação no controle da epidemia, na transmissão da doença e em diversos outros aspectos

Na presença de autoridades, começa em Serrana a vacinação do Projeto S

Projeto S vai influenciar a criação de políticas públicas no mundo todo; primeiras conclusões saem após três meses do início do estudo

Entenda o Projeto S: da idealização à ação e por que Serrana foi escolhida

Projeto S é lançado em Serrana (SP); site com todas as informações sobre o estudo já está no ar

Projeto S vai vacinar população de cidade inteira para entender como a vacina pode modificar a pandemia