Adiantamento da vacinação em São Paulo não vai influenciar ensaios clínicos da Butanvac, garante Dimas Covas
Publicado em: 14/06/2021

Na manhã desta segunda (14), o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, garantiu que o adiantamento no programa de imunizações do estado de São Paulo, comunicado no domingo (13), não vai interferir nos ensaios clínicos da nova vacina do instituto, a ButanVac. O anúncio foi feito durante a entrega de um novo lote de 1 milhão de doses da CoronaVac, vacina do Butantan contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

“Não se prevê nenhuma influência desse adiantamento do cronograma em relação aos testes clínicos do Butanvac”, afirmou Dimas. Segundo o presidente do Butantan, não há qualquer temor em relação a uma baixa adesão de voluntários para os ensaios clínicos da vacina devido à antecipação nas datas de imunização.

“Na primeira fase da pesquisa está previsto o estudo de segurança com 400 voluntários, que deve acontecer muito rapidamente. Dentre os voluntários há diversos grupos: aqueles que não tiveram contato com vírus, aqueles que já tiveram e inclusive aqueles que já foram imunizados com outras vacinas”, explicou. Serão estudados, no total, quatro grupos: três nos quais será testado o escalonamento de doses, e um grupo controle, que receberá placebo. Cada grupo receberá uma aproximação específica em relação ao estudo, visando um objetivo diferente.

Além de Dimas Covas, acompanharam a saída de novas doses da CoronaVac da fábrica do Butantan com destino aos centros de distribuição do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, o governador João Doria, o secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn, e a coordenadora geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane Cardoso de Paula.

Com as entregas desta segunda, o Butantan já enviou ao governo federal um total de 49,012 milhões de doses de vacina contra a Covid-19.

 

Ensaios clínicos da ButanVac

Os ensaios clínicos da ButanVac também foram tema da coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes neste domingo (13). Dimas Covas confirmou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o início da pesquisa, mas ela ainda precisa ser validada pelos comitês de ética, tanto em Ribeirão Preto (onde o estudo acontecerá), quanto em São Paulo, além da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

“Nesta semana está previsto começar o pré-cadastro dos voluntários. É um estudo, neste momento, em fase 1, o que significa avaliar a segurança da vacina”, afirmou o presidente do Butantan. “Oportunamente será anunciado o início do programa do estudo clínico”, reforçou.

Poderão se candidatar para participar da pesquisa clínica da ButanVac maiores de 18 anos. Por enquanto, porém, ainda não estão sendo recrutados voluntários e não há qualquer processo de inscrição aberto para participar do estudo. Além disso, esse recrutamento, quando for iniciado, será feito pelos centros de pesquisa onde o estudo será realizado, e não pelo Butantan.