Em surto da delta na China, cerca de 20% dos casos foram em crianças e adolescentes; vacinados com CoronaVac não registraram casos críticos

Nos mais de 150 casos de Covid-19 do surto, 28 foram entre menores de 18 anos e 72 entre pessoas de 19 a 59 anos


Publicado em: 10/01/2022

Em estudo publicado na última quarta (5) na revista PLOS Neglected Tropical Disease, pesquisadores chineses da Universidade Médica do Sul de Guangzhou (Cantão) e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da província apontaram que um em cada cinco casos do surto da variante delta do vírus SARS-CoV-2 que se abateu sobre a região entre maio e junho de 2021 acometeu menores com idade pré-escolar (1 a 5 anos) e estudantes de 6 a 18 anos. Além disso, dos 153 casos de Covid-19 do surto, cerca de 85% ocorreu entre não vacinados. 

Durante o período do estudo, houve sete casos assintomáticos e 146 sintomáticos. Destes, 24 (15,7%) foram considerados leves, 113 (73,9%) moderados, e nove (5,9%) foram considerados críticos. Não houve nenhum caso grave. Dos 153 casos, 116 (84,7%) aconteceram em indivíduos sem cobertura vacinal e 21 (15,3%) em pessoas com esquema de vacinação parcial ou completo da CoronaVac, imunizante do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, ou Sinopharm, imunizante chinês que também conta com a tecnologia de vírus inativado. Foram excluídos 16 casos com estado vacinal indeterminado.

“Os sintomas clínicos foram mais leves nos casos com vacinação parcial ou total do que naqueles que não foram vacinados. Notavelmente, nenhum caso crítico foi observado naqueles que foram parcial ou totalmente vacinados, enquanto os nove casos críticos ocorreram todos entre pessoas não vacinadas”, ressaltaram os pesquisadores no estudo.

Do total de casos de Covid-19 do surto, 28 (18,3%) foram entre menores de 18 anos, 72 (47,1%) entre pessoas de 19 a 59 anos, 19 (12,4%) na população de 60 a 70 anos e 34 (22,2%) em idosos acima dos 70 anos. Crianças em idade pré-escolar responderam por 3,3% dos casos.

 

Intensificação da vacinação após surto

Em 21 de maio de 2021, foi relatado o primeiro caso da variante delta em Guangzhou. Em resposta ao ressurgimento da Covid-19 na província, o governo local implementou uma série de medidas de contenção e iniciou a vacinação emergencial de toda a população. No fim de junho, quando o surto acabou, 10,7 milhões dos 15,3 milhões de habitantes haviam sido vacinados com CoronaVac ou Sinopharm (sendo que 8,7 milhões haviam completado o esquema vacinal de duas doses), estendendo a cobertura vacinal para 67% da população da província.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan