CoronaVac é segura e imunogênica para pacientes com miopatias autoimunes sistêmicas


Publicado em: 24/12/2021

Um estudo clínico de fase 4 conduzido pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, publicado na revista científica Rheumatology, apresentou evidências de que a CoronaVac é segura e induz resposta imune em pacientes com miopatias autoimunes sistêmicas. Trata-se de um grupo heterogêneo de doenças sistêmicas raras que acometem principalmente os músculos estriados esqueléticos, podendo também atingir pulmões, coração e trato gastrintestinal. 

Seis semanas após completarem o esquema vacinal de duas doses da CoronaVac, os 37 pacientes que participaram da pesquisa apresentaram uma atividade média de neutralização semelhante aos 79 indivíduos controles não imunocomprometidos (57,2% vs. 63%). Já a frequência de produção de anticorpos neutralizantes foi de 51,4% nos pacientes e de 77,2% nos controles.

Em relação à produção de anticorpos IgG, 64,9% dos pacientes apresentaram soroconversão, sendo que a titulação geométrica média de anticorpos IgG ficou em 7,9.

Os autores do estudo destacam que, apesar de apresentarem uma menor imunogenicidade em comparação com pessoas saudáveis, algo esperado em indivíduos imunossuprimidos, os pacientes desenvolveram uma boa resposta ao SARS-CoV-2. Além disso, não foi observado nenhum efeito adverso moderado ou grave, comprovando a segurança da CoronaVac nessa população. A frequência de reações adversas leves foi similar em ambos os grupos. 

Durante o acompanhamento, seis indivíduos (três pacientes e três controles) tiveram Covid-19, sendo cinco entre a primeira e a segunda dose e apenas um após a segunda dose. Todos desenvolveram sintomas leves e sem necessidade de hospitalização.

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan