Besouro vive em meio a fezes para proteger suas larvas

Apesar do hábito “esquisito”, o Oxysternon conspicillatum possui uma cor chamativa em tons de verde metálico


Publicado em: 17/05/2022

Apesar do nome pouco atrativo, o besouro rola-bosta possui uma beleza exótica com sua armadura verde metálica. Seus diversos parentes estão espalhados por todos os cantos do mundo e são muito conhecidos.

Também chamado de escaravelho, o Oxysternon conspicillatum possui um ciclo de vida baseado no esterco. Além de ser sua preferência alimentar, as bolas de fezes são escavadas e servem de abrigo para as larvas da espécie. Porém, se necessário, eles também se alimentam de carcaças animais.

Esses besouros tem grande importância ecológica porque participam do processo de eliminação de fezes e carcaças de animais. Eles atuam ainda como recicladores de nutrientes e, por isso, são benéficos para a agricultura e pecuária.

As fêmeas e machos dispõem de um esqueleto externo robusto em tons de verde e azul metalizados, mas apresentam algumas diferenças significativas. O macho tem um grande chifre central, espinhos em seu dorso e é maior em tamanho. Já a fêmea tem uma estrutura plana.

Os rola-bostas são encontrados em florestas das Américas Central e Norte. Na América do Sul, ficam, em sua maioria, na floresta amazônica e são de grande importância para o ecossistema, pois participam ativamente da decomposição de nutrientes que retornam à natureza.

Apesar da espécie viver em florestas tropicais, os escaravelhos adaptam-se a vários climas, inclusive os desertos áridos do Egito. Na antiguidade, o animal era associado ao deus sol Khepri, uma divindade que representava o sol nascente. Por isso, era considerado um importante amuleto de proteção. 

 

BESOURO ROLA-BOSTA

Espécie: besouro rola-bosta da ordem Coleoptera, da família Scarabaeidae e do gênero Oxysternon. Têm esse nome porque costumam rolar pedaços de excrementos.

Onde habita: florestas tropicais da América Central, Norte e do Sul, especialmente na floresta amazônica.  

Características físicas: corpo robusto e duro com tons azuis e verdes metalizados, podendo ter ou não chifres e espinhos.

Alimentação: fungos e materiais orgânicos encontrados em excrementos.