“Me orgulha estarmos hoje com 120 anos e fazendo essa entrega”, afirma Dimas Covas sobre envio de novo lote de vacinas
Publicado em: 23/02/2021

Foi com essas palavras que o diretor-presidente do Butantan, Dimas Tadeu Covas, comemorou a entrega de 1,2 milhão de doses da vacina do Brasil para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) realizada nesta terça-feira (23), data em que o Instituto comemora 120 anos. “Hoje é um dia de festa, mas é um dia de trabalho. Essas 1,2 milhão de doses que saem daqui para o galpão do Ministério da Saúde estão sendo trabalhadas sem parar desde a chegada da matéria-prima; 24 horas por dia, três turnos de trabalho e assim começamos a vencer nossos limites”, declarou.

 

O caminhão com as doses seguiu para o Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos. O transporte teve início antes da entrevista coletiva realizada nesta manhã no Instituto Butantan, que também contou com a participação do governador de São Paulo, João Doria, e do secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

 

As doses enviadas hoje fazem parte do lote de imunizantes produzidos no Butantan a partir das doses de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) enviadas pela Sinovac ainda em fevereiro. Com mais essa entrega, já são cerca de 11 milhões de vacinas disponibilizadas ao Ministério, o que corresponde a 90% de todas as vacinas usadas na rede pública do país.

 

“Estamos comemorando o nosso aniversário em grande estilo. Estamos no centro do nosso parque fabril. À minha esquerda está a fábrica de produção da vacina da dengue, à nossa frente as futuras instalações da fábrica da vacina de Covid, e no canto direito a fábrica da vacina da gripe. Essas três fábricas vão produzir no segundo semestre deste ano até 300 milhões de doses de vacina. É a maior produção de vacinas da América Latina. Isso nos enche de orgulho!", comemorou Dimas.

 


 

Até março serão entregues mais 5,6 milhões de doses da vacina do Butantan. Ou seja, somadas às 11 milhões de doses já entregues, o PNI contará com o total de 16,6 milhões de doses. Até 30 de abril, o Ministério da Saúde receberá 46 milhões de doses e, até 30 de agosto, mais 54 milhões – o que totalizará 100 milhões de doses.

 

Em entrevista, o governador João Doria ressaltou que os contratos para as 100 milhões de doses vão até o fim de agosto e que o governo do estado de São Paulo já determinou a compra de mais 20 milhões de doses. De acordo com ele, o Brasil precisa de mais vacinas além do imunizante do Butantan. “Não queremos chegar até o mês de setembro sob risco de não termos vacinas suficientes para a imunização de todos os brasileiros de São Paulo”, afirmou. A intenção é de que todos os paulistas prioritários sejam imunizados até 31 de dezembro. 

O governador também fez menção à fábrica que vai produzir integralmente, em 2022, as vacinas contra a Covid-19, que termina sua reforma em outubro e que em dezembro começa a produção das primeiras doses. Doria parabenizou o Instituto Butantan e agradeceu à Direção da instituição, aos cientistas e a todos os colaboradores que contribuem para a Ciência. “Vocês merecem o nosso reconhecimento”, declarou.