Parente dos dinossauros? Tartaruga “gigante” tem rabo, garras afiadas e mordida potente

Exemplares da tartaruga-mordedora vivem no biotério semiextensivo de quelônios e lagartos do Butantan


Publicado em: 26/04/2022

Ela é diferente da maioria das tartarugas que vemos por aí. É bem maior, mais pesada e tem uma mordida muito forte. Não à toa é conhecida como tartaruga-mordedora por ser voraz e agressiva principalmente fora da água. Possui cabeça e pescoço grandes, que usa para caçar à espreita, projetando-os para fora com quase a metade do tamanho do corpo.

No biotério de quelônios e lagartos do Instituto Butantan vivem cinco exemplares de tartarugas-mordedoras que ficam separadas das outras tartarugas justamente pelo seu comportamento nada amigável.

Animal pré-histórico

Sua aparência e sua longevidade chamam atenção e nada lembram a maioria das tartarugas que conhecemos. Ela tem um rabo, uma carapaça muito grossa e garras enormes e afiadas, que a fazem parecer um parente muito distante dos dinossauros. 

Até porque as tartarugas são animais pré-históricos, cujos fósseis mais antigos são de 200 milhões de anos. Tudo isso em um corpo de até 50 centímetros, 35 quilos, que pode viver mais de 30 anos.

A tartaruga mordedora é um animal semiaquático que durante o dia permanece dentro d´água com fundo lodoso e vegetação abundante e à noite se desloca por terra firme para abocanhar suas presas. Elas hibernam geralmente nos meses mais frios.

 

 

TARTARUGA MORDEDORA

Espécie: Chelydra serpentina, é uma espécie de tartaruga semiaquática que vive em habitats lacustres (água doce, salobra ou salgada), a única do gênero Chelydra da família Chelydridae, conhecida como “snapping turtle” – tartaruga mordedora.

Onde habita: Só ocorrem na América do Norte

Características físicas: É chamada de tartaruga-mordedora devido a sua boca em forma de bico que ela usa para agarrar suas presas. A carapaça é serrilhada e achatada e sua coloração varia de castanho, marrom e verde oliva. O plastrão (estrutura que lembra a barriga) é pequeno e o macho é maior que a fêmea.

Alimentação: dieta é onívora, o que inclui plantas, carcaças de animais mortos, invertebrados aquáticos, peixes, anfíbios, pequenos répteis e mamíferos.

Reprodução: são ovíparas, isto é, botam até 40 ovos por vez, e estes são incubados em buracos escavados no solo pela fêmea.

 

*A matéria contou com a colaboração da pesquisadora do biotério semiextensivo de quelônios e lagartos, Laboratório de Ecologia e Evolução do Instituto Butantan Myriam E. V. Calleffo.