#FAKE A vacina do Butantan contra a Covid-19 imuniza também contra a gripe H1N1. Isso não é verdade. Quem recebe a CoronaVac fica imunizado somente contra a Covid-19. Para se imunizar contra o vírus causador da H1N1 é preciso tomar a Vacina Influenza Trivalente (Fragmentada e Inativada), também fabricada pelo Butantan. Essa vacina é bem conhecida dos brasileiros: é a vacina da gripe distribuída pelo Programa Nacional de Imunizações gratuitamente a maiores de 60 anos e menores de seis anos, e que protege contra três tipos de gripe, inclusive a H1N1.


#FAKE A vacina facilita o aparecimento de novas variantes do coronavírus. Essa insinuação foi feita publicamente por um mandatário, mas não corresponde à verdade. A CoronaVac foi aprovada pela Anvisa, é segura e eficaz, inclusive contra novas cepas do coronavírus causador da Covid-19. Ela é feita a partir de vírus inativados, ou seja, mortos, e que são incapazes de fazer mal ao organismo humano.


#FAKE Vacina não foi aprovada na fase 3 na China e, por isso, brasileiros se tornaram cobaias. Tanto é mentira que a vacina não foi aprovada na China, quanto que brasileiros são cobaias. Em fevereiro de 2021 o governo chinês deu sua aprovação à CoronaVac (uma autorização especial havia sido concedida em novembro de 2020). Quanto aos brasileiros que participaram dos testes da fase 3, eles não são cobaias: são voluntários que se disponibilizaram a cooperar com o estudo de eficácia depois que já estava comprovado, com as pesquisas das fases 1 e 2, que a vacina era segura para humanos. Além disso, foram realizados estudos de fase 3 da CoronaVac em outros países, como Indonésia, Turquia e Chile. 


#FAKE Segunda dose da CoronaVac está relacionada à sua taxa de eficácia. Doses escalonadas são práticas comuns em programas de vacinação para reforçar a primeira dose. Isso está previsto na cartilha de vacinação do Ministério da Saúde e é importante para que o organismo aprenda a se defender melhor do vírus. Outras vacinas desenvolvidas contra a Covid-19 também precisam de duas doses para garantir imunização total. 


#FATO Vacina é eficaz, mas medidas de proteção continuarão sendo necessárias. Uma mensagem que circula nas redes sociais minimiza a importância da imunização por ainda ser necessário usar máscara e cumprir o distanciamento social após a vacinação. Essas medidas são importantes para que uma pessoa vacinada que tenha contato com o vírus não transmita para outras, embora ela esteja protegida.


#FAKE Vacinas não estão sendo aplicadas corretamente na população. Rumores nas redes sociais dizem que profissionais da área da saúde não estão injetando a vacina, apenas simulando. O que ocorreu de fato foi um caso isolado em Maceió. A técnica de enfermagem envolvida já foi afastada de suas funções.


#FAKE Primeiro indígena a tomar a CoronaVac no Acre morreu por causa da vacina. A médica que cuidou do caso do líder indígena Fernando Katukina já esclareceu que a morte não tem qualquer relação com o imunizante, ao contrário do que especulam as redes sociais.


#FATO Instituto Butantan pode confirmar a eficácia da CoronaVac em pacientes idosos. Apesar dos boatos que têm circulado nas redes sociais de que o Butantan não confirma a eficácia do imunizante em pacientes idosos, a eficiência e a segurança da vacina já foram comprovadas não só em indivíduos dessa faixa etária, mas também em pessoas com mais de 18 anos de idade.


#FAKE Funcionário do Samu morreu após tomar vacina contra a Covid-19. A Prefeitura de Maricá (RJ) esclareceu que é falsa a informação de que Robson Marques Lima faleceu após ser vacinado contra o novo coronavírus. A Secretaria de Saúde informou que Robson morreu no dia 24 de janeiro, por infarto agudo do miocárdio.


#FAKE Enfermeiras de Paraty são internadas depois de receberem CoronaVac. Essa notícia alarmista não passa de um boato. A Prefeitura de Paraty já desmentiu a informação e explicou que a vacina do Butantan não oferece risco aos imunizados.


#FAKE Diretor do Instituto Butantan e prefeito de São Paulo são parentes. Circula nas redes sociais uma publicação afirmando que Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, e Bruno Covas, prefeito de São Paulo, são irmãos. Essa informação é falsa. Dimas Covas e Bruno Covas, apesar de terem o mesmo sobrenome, não possuem qualquer grau de parentesco.


#FATO Site vacinaja, do governo de SP, não é golpe. O https://vacinaja.sp.gov.br/ é um site verdadeiro do Governo do estado de SP, para pré-cadastro da vacinação contra a Covid, e foi feito para dar detalhes sobre a vacinação no estado. Todas as pessoas aptas a receber a vacina podem fazer um pré-cadastro. No momento, a vacinação está liberada para grupos indígenas e profissionais de saúde.


#FAKE Políticos estão recebendo a CoronaVac antes da população. Políticos e seus familiares serão vacinados seguindo as mesmas regras da população em geral. Ninguém será privilegiado e não há distribuição ou venda da CoronaVac por qualquer meio que não o SUS. Recentemente, a filha de um ex-prefeito do Paraná apareceu nas redes sociais com um frasco da CoronaVac. O frasco estava vazio e era apenas uma amostra.


#FAKE A vacina do Butantan está sendo comercializada via internet ou em farmácias. Essa informação é inverídica. Até 17/01 a vacina do Butantan não tinha liberação para ser comercializada, e depois disso fica à disposição do SUS para integrar o Programa Nacional de Imunização.


#FAKE A vacina pode matar. Pelo contrário, a vacina salva. A vacina do Butantan utiliza o vírus inativado, uma tecnologia já bastante conhecida na produção de outras vacinas do instituto. Segundo os testes realizados, ela não causa nenhum efeito adverso grave nem prejudica a saúde da população.


#FAKE A China não utilizará CoronaVac. Em novembro, a China concedeu autorização especial para que a CoronaVac seja aplicada na população de alto risco, caso dos médicos e profissionais de saúde. Mais de 700 mil chineses foram vacinados com a CoronaVac em caráter emergencial até dezembro de 2020.


#FATO A vacina do Butantan é brasileira. A vacina do Butantan está sendo feita em parceria com a empresa chinesa Sinovac, mas é uma vacina brasileira, feita em São Paulo, no Butantan, porque prevê uso de tecnologia local.


#FAKE Os brasileiros serão cobaias da vacina. Todas as vacinas desenvolvidas pelo Instituto Butantan obedecem rigorosos critérios técnicos até que sejam disponibilizadas para a população. A CoronaVac já comprovou sua segurança e resposta imune nas fases 1, 2 e agora na fase 3 de testes, com 13 mil voluntários no Brasil. Outros países já provaram seu uso emergencial, como Turquia e Indonésia, e milhões de pessoas serão vacinadas. A vacina do Butantan está entre as mais seguras do mundo, segundo a revista científica Lancet.


#FATO Existe uma fábrica só para a vacina de Covid-19. O Instituto Butantan está ampliando sua capacidade de produção com uma nova fábrica, totalmente financiada com recursos privados. O objetivo é produzir 100 milhões de doses por ano da vacina contra Covid-19. Vale ressaltar que já temos capacidade de produzir a vacina na mesma linha de produção da vacina contra influenza. A técnica para ambas é a mesma, um processo que dominamos há muitos anos.


#FAKE Vacinas com insumos chineses não são seguras. Os chineses têm vasta experiência na produção de vacinas. Inclusive, é importante saber que a vacina de Oxford também utiliza insumos farmacêuticos vindos da China. Os testes com a vacina do Butantan comprovaram que ela não causa nenhum efeito adverso grave nem prejudica a saúde da população. É segura e pode salvar vidas. Ela é produzida com o vírus inativado, técnica que dominamos e que nos dá total segurança.


#FATO Outros países estão testando a vacina do Butantan e da China. Além do Brasil, a Indonésia e a Turquia foram países escolhidos para testar a vacina do Butantan e da China, por sua grande população e seus níveis de incidência da doença.


#FAKE Enxaguantes bucais evitam a Covid-19. Alguns estudos in vitro estão sendo conduzidos, mas não há evidências suficientes para comprovar essa afirmação. Inclusive, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo se posicionou a respeito, ressaltando o perigo dessa promessa e a falsa sensação de segurança que ela pode gerar.


#FATO O Brasil já usa muitos medicamentos produzidos na China. Existe muita desinformação quando se coloca em risco a credibilidade da China para produzir medicamentos. Cerca de 35% dos medicamentos usados e aprovados no Brasil possuem matéria-prima ou componentes de origem chinesa.


#FAKE Quem já teve Covid-19 não precisará receber a vacina. A maioria das pessoas que tiveram Covid-19 gera resposta imune, mas nem todos os casos têm resposta protetora e/ou duradoura. Portanto, as pessoas que tiveram Covid-19 deverão receber a vacina.


#FAKE Peru suspendeu testes com CoronaVac por problemas neurológicos em um voluntário. A vacina que teve ensaios clínicos interrompidos é de outra farmacêutica. A CoronaVac não está sendo testada no Peru.


#FAKE A Sinovac foi expulsa da China. A Sinovac não foi expulsa da China e continua, como faz há anos, fornecendo vacinas para o governo chinês. Em dezembro, uma equipe da Anvisa visitou a fábrica da Sinovac na China e concedeu à empresa a Certificação de Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos, o que permitiu o início da produção das vacinas no Butantan.


#FATO A vacina do Butantan contra a Covid-19 é produzida com vírus inativados. A vacina do Butantan contra a Covid-19 é produzida com vírus inativados do novo coronavírus, ou seja, não oferece nenhum risco de infecção da doença. Essa tecnologia é uma especialidade do Butantan e usada em muitas outras vacinas bem-sucedidas, como a da gripe.