Publicado em: 02/06/2021

Entenda por que mulheres não podem doar plasma convalescente para tratamento da Covid-19

A utilização de plasma convalescente para o tratamento de pacientes com Covid-19 é mais uma alternativa encontrada pelo Instituto Butantan para tentar ajudar o Brasil a lutar contra a pandemia e reduzir o número de mortes em decorrência da doença. Doado por pessoas que tiveram Covid-19 e se curaram, produzindo assim uma grande quantidade de anticorpos, o plasma funciona como uma vacina imediata. Entretanto, assim como acontece com a doação de sangue, há restrições para a doação de plasma convalescente por algumas pessoas – as mulheres, por exemplo.

Isso porque o plasma convalescente doado por mulheres pode causar uma complicação no paciente que vai recebê-lo chamada TRALI (transfusion-related acute lung injury), uma lesão pulmonar aguda grave que ocorre durante ou dentro de seis horas após a transfusão. Essa complicação é provocada por um anticorpo gerado durante a gestação chamado anti-HLA. 

Os anticorpos anti-HLA podem estar presentes inclusive em mulheres que nunca tiveram filhos, mas que iniciaram uma gestação e tiveram um aborto, espontâneo ou não, sem ter ciência disso. “Não é que mulheres não possam doar plasma, mas é preferível que seja homem devido ao risco de TRALI”, explica Vizleide Alves Vieira, enfermeira que atua com plasma humano no Núcleo de Biotecnologia do Butantan.

As mulheres não são proibidas de doar o plasma, mas para evitar qualquer complicação, a preferência é pela doação por homens. Alguns hemocentros permitem a doação de plasma convalescente por mulheres, mas nesse caso é feito um exame de pesquisa de anticorpos antileucocitários para detecção de anti-HLA.

Há restrições mais gerais, que envolvem os homens também. Um exemplo são pessoas que passaram por transfusão de sangue: no momento que o organismo recebe o sangue, ele pode gerar anticorpos que também podem causar TRALI. "Existem uma série de fatores a partir dos quais é possível alegar aptidão ou não para fazer a doação. Quem irá definir isso é a triagem dentro do hemocentro”, completa Vizleide.

Para mulheres que quiserem ajudar, a doação de sangue ainda é uma alternativa importante. Além disso, na doação de sangue são aproveitados todos os seus componentes, inclusive plasma, plaquetas e hemácias. Com a pandemia, muitas pessoas que costumavam doar sangue evitaram fazê-lo e o déficit nos bancos de sangue se intensificou. Segundo estimativas do Ministério da Saúde, o medo da Covid-19 pode ter causado uma diminuição de até 20% no total de doações de sangue em 2020, em comparação com 2019.