ENTRE ASPAS
Os estudos finais da CoronaVac mostraram que nós temos no Brasil uma boa vacina, que funciona contra as variantes, e que consegue prevenir doença grave, hospitalização e morte. É isso que a gente precisa neste momento.
Natalia Pasternak
microbiologista e presidente do Instituto Questão de Ciência

VOCÊ SABIA?
Você sabia que é possível utilizar plasma para tratar pacientes com Covid-19?

O Butantan iniciou em 2021 um projeto piloto de utilização de plasma convalescente para tratar pacientes com Covid-19. Pessoas imunossuprimidas, com comorbidades, maiores de 60 anos e com diagnóstico comprovado de Covid-19 podem receber o tratamento. A parte líquida retirada do sangue de pessoas que já tiveram infecção pelo novo coronavírus - que contém anticorpos neutralizantes contra o SARS-CoV-2 - é denominada plasma convalescente. O objetivo desta alternativa é transferir anticorpos ao paciente, de maneira passiva, até que seu próprio organismo tenha tempo para montar sua resposta imune.


#FATO Quem já teve Covid-19 ainda precisa se vacinar contra a doença. Isso porque, mesmo com anticorpos, nem sempre o organismo cria a chamada “memória imunológica”, que é a capacidade de reconhecer e se proteger contra uma segunda invasão. E uma pessoa pode contrair novamente a Covid-19, ainda mais por conta das variantes que circulam por aí. Além disso, testes para medir anticorpos não têm resultados confiáveis, já que existem outros mecanismos do sistema imunológico capazes de tratar uma infecção do SARS-CoV-2.


#FAKE Quem está vacinado pode relaxar as medidas de segurança e higiene. Essa afirmação não é verdadeira. As vacinas protegem, mas cuidados como o uso de máscaras e álcool em gel e o distanciamento social devem continuar sendo seguidos após a imunização. É importante lembrar que a vacina protege da doença, não da infecção - ou seja, uma pessoa vacinada ainda pode pegar o vírus e transmiti-lo para outras. Alguns países, como Estados Unidos, Reino Unido e Inglaterra, relaxaram as medidas de segurança quando alcançaram uma porcentagem elevada da população vacinada e viram o número de casos voltar a crescer de forma abrupta. Enquanto o vírus circular, é preciso se proteger, independente de já ter tomado a vacina ou não.


#FATO Com 75% da população vacinada e manutenção de cuidados, é possível controlar a pandemia. O Projeto S, estudo desenvolvido pelo Butantan na cidade de Serrana, no interior de São Paulo, demonstrou que com 75% da população vacinada com a CoronaVac é possível controlar a pandemia de Covid-19 e reduzir drasticamente a taxa de transmissão e o número de casos e mortes. Para que a proteção coletiva aconteça, porém, é essencial que todos os públicos que puderem ser imunizados recebam o esquema vacinal completo, independente da tecnologia ou fabricante da vacina.


#FATO CoronaVac é a vacina mais utilizada no mundo contra a Covid-19. De acordo com levantamento da Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas (IFPMA), a CoronaVac, vacina produzida pelo Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, representa 24% da produção mundial de imunizantes contra o SARS-CoV-2, com cerca de 2 bilhões de doses. Ainda de acordo com o levantamento, a previsão é que até o final do ano essa marca alcance as 2,9 bilhões de doses. Só no Brasil, foram encaminhadas 100 milhões de doses ao Plano Nacional de Imunizações, conforme contratos do Butantan com o Ministério da Saúde.


VÍDEOS