ENTRE ASPAS
Os estudos finais da CoronaVac mostraram que nós temos no Brasil uma boa vacina, que funciona contra as variantes, e que consegue prevenir doença grave, hospitalização e morte. É isso que a gente precisa neste momento.
Natalia Pasternak
microbiologista e presidente do Instituto Questão de Ciência

VOCÊ SABIA?
Você sabia que é possível utilizar plasma para tratar pacientes com Covid-19?

O Butantan iniciou em 2021 um projeto piloto de utilização de plasma convalescente para tratar pacientes com Covid-19. Pessoas imunossuprimidas, com comorbidades, maiores de 60 anos e com diagnóstico comprovado de Covid-19 podem receber o tratamento. A parte líquida retirada do sangue de pessoas que já tiveram infecção pelo novo coronavírus - que contém anticorpos neutralizantes contra o SARS-CoV-2 - é denominada plasma convalescente. O objetivo desta alternativa é transferir anticorpos ao paciente, de maneira passiva, até que seu próprio organismo tenha tempo para montar sua resposta imune.


#FAKE Butantan não divulgou números do Projeto S. A afirmação não é verdadeira. Os dados preliminares do estudo de efetividade da CoronaVac realizado em Serrana, no interior de São Paulo, foram apresentados em coletiva de imprensa no próprio instituto, no final de maio, e continuam disponíveis no vídeo da transmissão, publicado no canal do Youtube do governo de São Paulo. O artigo científico que trará os dados discriminados está em desenvolvimento e em breve será divulgado em publicações especializadas.


#FATO Dose de reforço em países que já estão com vacinação adiantada está relacionada à variante delta. A variante delta do SARS-CoV-2, uma das cepas mais transmissíveis do vírus causador da Covid-19, é um dos motivos por que alguns países resolveram recomendar uma dose de reforço da imunização. É o caso de Israel, Reino Unido e Estados Unidos. Com cobertura vacinal alta, eles iniciaram o afrouxamento das medidas sanitárias de Covid-19. A entrada da delta, porém, fez os números de infecções voltarem a crescer. Para combater a nova onda, esses países decidiram adotar a dose de reforço. Especialistas indicam, no entanto, que mais importante do que iniciar a dose de reforço ou terceira dose é garantir que todas as populações estejam com o esquema vacinal completo, ou seja, tenham tomado as duas doses ou a dose única da vacina contra a Covid-19. 


#FATO Não se vacinar facilita o aparecimento de mutações do SARS-CoV-2. Assim como todos os vírus, o causador da Covid-19 tem a capacidade de sofrer mutações, gerando as chamadas variantes. Essas mudanças genéticas se dão principalmente quando a transmissão do vírus é alta em uma sociedade, porque ele se adapta ao ambiente. Quanto mais pessoas estiverem vacinadas, menor será a circulação do SARS-CoV-2 e, portanto, menor a possibilidade de surgirem novas variantes.


#FATO Quem escolhe vacina contribui para prolongar a pandemia de Covid-19. Quem se recusa a tomar a vacina que está disponível atrasa a imunização coletiva e impede que a cobertura vacinal chegue ao maior número de pessoas no menor tempo possível. Assim, a circulação do vírus permanece elevada e o número de casos continua aumentando. Todas as vacinas disponíveis no Brasil já provaram sua eficácia em testes clínicos e sua efetividade no mundo real.


VÍDEOS