laboratório de imunorregulação

 

 Editor de Conteúdo ‭[1]‬

 
Carla Lima da Silva – carlalima@butantan.gov.br

Mônica Valdyrce dos Anjos Lopes Ferreira – lopesferreira@butantan.gov.br

estudo dos fatores desencadeantes e dos sinais intracelulares essenciais na ativação de subtipos de linfócitos T e B e na geração de memória imunológica

A memória imunológica é um marco da resposta imune adaptativa de vertebrados superiores e é responsável pela imunidade de longo prazo contra uma enorme variedade de agentes infecciosos. O grupo vem realizando estudos que objetivam um maior entendimento: a) da capacidade de modulação das células dendríticas e o padrão da expressão dos receptores inatos tendo em vista a possibilidade de modular a qualidade funcional das células T de memória; b) do papel das citocinas e dos mecanismos subjacentes da diferenciação de diferentes linfócitos T e B de memória para a otimização das estratégias de reforço vacinal; e c) das funções dos linfócitos T (Th1, Th2, Th9, Th17, Treg) para se estabelecer o fator de eficácia vacinal contra patógenos.

estudo dos mecanismos imunológicos celulares e moleculares subjacentes aos fenômenos inflamatórios 

O nosso grupo de pesquisa vem desenvolvendo desde 1996 trabalhos com venenos de peixes peçonhentos. Os resultados obtidos pelo grupo além de gerarem importantes conhecimentos da fisiopatologia dos envenenamentos, da natureza bioquímica das toxinas e da terapêutica no controle das lesões, possibilitaram também uma visão da complexa rede de interações existente no sistema imune inato e conseqüentemente demos inicio a pesquisas que objetivam a melhor compreensão dos mecanismos imunológicos celulares e moleculares subjacentes aos fenômenos inflamatórios e a importância destes para a função dos tecidos em vários modelos experimentais murinos. Utilizando os venenos ou suas toxinas nosso grupo vem conseguindo estabelecer modelos adequados para o estudo do compartimento celular da resposta inata ou inflamatória.

 

 Editor de Conteúdo ‭[2]‬