laboratório de bacteriologia

 

 Editor de Conteúdo ‭[2]‬

 
​​​responsável pela unidade:

Waldir Pereira Elias Junior – waldir.elias@butantan.gov.br

pesquisadores da unidade:
Alessandra Soares Schanoski - alessandra.schanoski@ butantan.gov.br
Angela Silva Barbosa – angela.barbosa@butantan.gov.br
Cecilia Mari Abe​ - cecilia.abe@butantan.gov.br
Denise Silvina Piccini Quintas Horton – denise.horton@butantan.gov.br
Eliane Namie Miyaji - eliane.miyaji@ butantan.gov.br
Enéas de Carvalho - eneas.carvalho@ butantan.gov.br
Josefa Bezerra da Silva -  josefa.silva@ butantan.gov.br
Marcia Regina Franzolin – marcia.franzolin@butantan.gov.br
Maria Leonor Sarno de Oliveira ​- marialeonor.oliveira@butantan.gov.br​
Marta de Oliveira Domingos – marta.domingos@butantan.gov.br
Martha Harumi Sonobe – martha.sonobe@butantan.gov.br
Monamaris Marques Borges – monamaris.borges@butantan.gov.br
Patrícia Antônia Estima de Abreu Aniz - patricia.aniz@butantan.gov.br
Rita de Cássia Ruiz – rita.ruiz@butantan.gov.br
Roxane Maria Fontes Piazza – roxane.piazza@butantan.gov.br​

objetivo geral da unidade

As linhas de pesquisa do Laboratório de Bacteriologia convergem para colaborar na elucidação da patogênese e da resposta do hospedeiro frente a infecções por Leptospira spp., Bordetella spp., Streptococcus pneumoniae e categorias de Escherichia coli diarreiogênicas, através dos estudos de caracterização de fatores de virulência, de mecanismos de patogenicidade e da classificação fenotípica e molecular destes patógenos, servindo como base para projetos de desenvolvimento de vacinas e kits para o diagnóstico das infecções por eles causados. Esses patógenos bacterianos são considerados emergentes e apresentam grande importância em termos de saúde pública em nosso meio.​

linhas de pesquisa

A principal linha de pesquisa fundamenta-se na caracterização de fatores de virulência estruturais e secretados e na elucidação dos mecanismos de patogenicidade dessas bactérias. Esses diferentes fatores são empregados em estudos de patogenicidade, de potencial imunogênico e vacinal, bem como no diagnóstico molecular e na produção de anticorpos (policlonais, monoclonais e recombinantes) para o uso em imunodiagnóstico. São estudados diferentes aspectos relacionados à interação destes patógenos com o hospedeiro, abordando mecanismos de adesão a células epiteliais, matriz extracelular, fagócitos profissionais e não profissionais. Mecanismos imunes naturais participantes da resposta inflamatória e evasão ao sistema imune do hospedeiro também são caracterizados. O grupo também desenvolve estudos sobre atividade antimicrobiana e imunomoduladora de substâncias isoladas em projetos de bioprospecção.

 

Descrição dos equipamentos

Projeto FAPESP Multiusuários 2013/50955-7

1) Matrix 1600 Reagent Dispensing Module (Kinematic Automation, Inc.) é um aparelho
pneumático utilizado para aplicação de amostras (antígenos ou anticorpos) sobre
membranas de nitrocelulose específicas para confecção de testes imunocromatográficos.
O equipamento possui duas bombas responsáveis por injetar amostra por meio de um
dispositivo que utiliza a injeção de ar para pulverizá-la na membrana em forma de pontos
ou linha contínua.  Além disso, possui um painel eletrônico com tela de tato, no qual as
configurações são estabelecidas.

2) Matrix 2210 Universal Laminator Module (Kinematic Automation, Inc.) é um aparelho
utilizado para montagem do teste imunocromatográfico por meio de vácuo e força
aplicada para correta e uniforme sobreposição das membranas que compõe o teste.

3) Matrix 2360 Programmable Shear (Kinematic Automation, Inc.) é um aparelho eletrônico
utilizado para cortar precisamente as tiras do teste imunocromatográfico após montagem
no módulo Matrix 2210.  O aparelho é composto por uma guilhotina de precisão e uma
mesa, no qual a fita montada desliza para possibilitar o corte da mesma. Toda a
configuração da velocidade e espessura do corte é estabelecida em um painel eletrônico
com tela de tato.

Plano de gestão de uso

Responsáveis:

Dra. Letícia Barboza Rocha
Dra. Roxane Maria Fontes Piazza
Ms. Juliana Polatto Yassuda

Utilização dos equipamentos

A utilização dos equipamentos deverá ser realizada sob supervisão de uma das pessoas
responsáveis.  A manipulação dos equipamentos pelo usuário será parcial e realizada após um
treinamento prévio para explicação do funcionamento, características e exigências do material a
ser utilizado nos aparelhos.  Todo material utilizado para confecção das fitas deverá ser de
responsabilidade do usuário, tais como: ouro coloidal e membranas que compõe o teste
imunocromatográfico.

Forma de acesso aos equipamentos

A utilização dos equipamentos deverá ser realizada por meio de agendamento em um dos e-mails
dos responsáveis:

leticia.rocha@butantan.gov.br
roxane.piazza@butantan.gov.br
juliana.yassuda@butantan.gov.br​