Venenos, Envenenamentos e Toxinas de Venenos

Os estudos em Toxinologia do Instituto Butantan visam: Compreender o papel individual da toxina dentro do envenenamento; Correlacionar as características químicas e estruturais das toxinas com a ação biológica do veneno; Compreender a influência de aspectos evolutivos, de distribuição geográfica, de alimentação na diversidade de toxinas. Além disso, e Utilizar toxinas como ferramenta para a compreensão de doenças e para o desenvolvimento de potenciais medicamentos. Dessa forma, as toxinas podem ser obtidas diretamente do veneno através de processos cromatográficos ou na forma de proteínas recombinantes.

Na forma de Proteínas Nativas

Foto: Representação em cera de crânio de serpente peçonhenta e frasco contendo veneno cristalizado,
Museu Histórico do Instituto Butantan, Magalhães, S. Geraldo.

Na forma de proteínas recombinantes

Quando não se tem quantidade suficiente de veneno ou o animal é difícil de ser encontrado na natureza utiliza-se a engenharia genética na replicação de toxinas por meio de bactérias.

Pesquisadores

Resultado de imagem para Ana Leonor Nencioni

Ana Leonor Abrahao Nencioni.   Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Neurociências e Toxicologia, atuando principalmente nos seguintes temas: convulsão, comportamento, sistema nervoso central, neurotoxinas e escorpiões. Tem experiência também na área de estudos perinatais com ênfase em análise toxicológica e desenvolvimento comportamental. Lattes

 

Ana Maria Moura da Silva. Atua na área de Toxinologia, com enfoque na estrutura e função de metaloproteinases de veneno. Recentemente, vem colaborando com grupos na Amazônia abordando aspectos ecológicos, evolutivos das serpentes da região e do envenenamento e tratamento dos envenenamentos por essas serpentes.Lattes

 

Anita Mitico Tanaka-Azevedo.Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em purificação de proteínas plasmáticas e proteômica. Atua principalmente nos seguintes temas: Proteínas plasmáticas e venenos de serpentes peçonhentas, hemostasia e antiveneno. Lattes.

 

Benedito Carlos Prezoto Benedito Carlos Prezoto. Desenvolve trabalhos na área de Fisiologia comparada, fazendo análise comparativa dos sistemas de coagulação sanguínea e calicreína-cininas entre mamíferos e aves. Enfocam alterações fisiopatológicas proporcionadas por venenos de serpentes e de lagartas venenosas sobre o sistema da coagulação sanguínea de mamíferos. Lattes

 

Carla Lima. Tem experiência na área de Imunorregulação utilizando como ferramenta de intervenção no sistema imune venenos ou toxinas de peixes brasileiros como niquim, bagres, arraias e peixe-escorpião, utilizando modelos experimentais (camundongos e zebrafish) para a investigação da imunopatologia do envenenamento e anafilaxia, soroterapia, alterações na matriz extracelular e sobrevivência celular, inflamação e mecanismos inatos de regulação da neutrofilia, indução de resposta humoral de memória e a diferenciação de subtipos de linfócitos B. Lattes
Carlos Roberto de Medeiros. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Alergologia e Imunologia Clínica, intoxicações agudas e em acidentes causados por animais peçonhentos, atuando principalmente nos seguintes temas: doenças alérgicas e distúrbios imunológicos; vigilância epidemiológica em intoxicações; envenenamentos por animais peçonhentos; soroterapia heteróloga; e reações alérgicas a toxinas animais.Lattes
Catarina de Fátima Pereira Teixeira. Tem experiência nas áreas de Farmacologia e Toxinologia, com ênfase no processo Inflamatório, atuando principalmente nos seguintes temas: I) aspectos inflamatórios e antiinflamatórios de venenos animais, particularmente ofídicos,e de toxinas ofídicas isoladas, como fosfolipases A2 e metaloproteinases; II) vias de sinalização e mecanismos moleculares envolvidos nas ações de toxinas de venenos animais em células inflamatórias e iii) aplicação de toxinas ofídicas como ferramentas científicas para o entendimento de mecanismos fisiopatológicos envolvidos doenças de natureza inflamatória. Lattes
Resultado de imagem para milene tino de franco

Cristina Maria Fernandes. Tem experiência nas áreas de Farmacologia e Toxinologia, com ênfase em inflamação, atuando principalmente nos seguintes temas: ação de venenos e toxinas de serpentes da família Viperidae, artrite, leucócitos, sinoviócitos tipo B  e cultura de células.Lattes

 

https://lh3.googleusercontent.com/620RMYBY3BmGyxZoF7K3qyUuM_hkqKtm0G3bjfIw1hCJLV_cGl4JvMlSCU_kTSFd3EVjnw=s48 Diva Denelle Morena. Os estudos desenvolvidos visam a caracterização da fisiopatologia do envenenamento por animais peçonhentos sobre o desenvolvimento da prenhez, em murinos. Desenvolve, também, o estudo do tegumento de lagartas urticantes e o estudo da morfologia do órgão de Gené de carrapatos em diferentes etapas do desenvolvimento reprodutivo. Como colaboradora, participa do estudo da hematopoese de serpentes.Lattes

Eliana Faquim de Lima Mauro. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Imunologia Celular, atuando principalmente nos seguintes temas: imunologia celular, citocinas, anafilaxia, toxinologia, imunossupressão e anticorpos. Atualmente desenvolve projetos que envolvem patógenos causadores de ascaridíase.Lattes

 

http://servicosweb.cnpq.br/wspessoa/servletrecuperafoto?tipo=1&id=K4701560U6 Fan Hui Wen. Atua na área de saúde coletiva, com ênfase em Epidemiologia e coordena um núcleo que visa o aprimoramento e desenvolvimento de antivenenos no Instituto Butantan. Em suas atividades profissionais interagiu com 96 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Os termos mais frequentes na contextualização da produção cientifica, tecnologia e artístico-cultural são: animais peçonhentos, epidemiologia, antivenenos e envenenamento. Lattes
Resultado de imagem para geraldo santana magalhaes

Geraldo Santana Magalhaes. Tem experiência na área de Biologia Molecular e Bioquímica, com ênfase em mutação sitio dirigida, transfecção de células de mamífero, RNA de interferência, microarray, gel bidimensional, PCR em tempo real, bilbiotecas de cDNA e clonagem e expressão de toxinas recombinantes naturais e/ou híbridas em sistemas herelólogos. Utiliza toxinas recombinantes para explorar o potencial biotecnológico destas moléculas e entender seus mecanismos de ação. Lattes

 

Ivo Lebrun. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Química de Macromoléculas, atuando principalmente nos seguintes temas: peptideo bioativos, Tityus serrulatus, venenos, neurotoxinas, toxinas bacterianas. Lattes
Resultado de imagem para Karen de Morais Instituto Butantan

Karen de Morais Zani. Atua na na área de Toxinologia, com ênfase na caracterização proteômica e funcional de venenos de serpentes. Lattes

 

Resultado de imagem para Katia Cristina Barbaro

Katia Cristina Barbaro Nogueira. Tem experiência na área de Toxinologia, atuando principalmente nos seguintes temas: veneno/toxinas (Loxosceles, raias, serpentes, escorpiões e lacraias), inflamação, anticorpos/soroterapia. Lattes

 

Lanfranco Ranieri Paolo Troncone. Estuda neurotoxinas de venenos animais, em especial de aranhas, com ações sobre canais de cálcio, sódio e sobre a ereção peniana. Investiga também a relação do estresse com distúrbios psiquiátricos como a depressão. Mais recentemente iniciou a investigação de novas entidades moleculares como potenciais antidepressivos. Está investigando o aprimoramento de modelos comportamentais para o teste de antidepressivos em fase pré-clínica a fim de melhorar sua confiabilidade.Lattes
Leo Iwai. Tem experiência na área de Bioquímica e Imunologia, com ênfase em Proteoma e Fosfoproteoma em diversos modelos como doença de Chagas, diabetes e câncer. Atualmente estuda os efeitos proteômicos do veneno de serpentes em linhagens celulares de câncer e em diferentes tecidos cerebrais.Lattes
Luis Roberto de Camargo Gonçalves. Tem experiência na área de Fisiopatologia, com ênfase em Toxinas Animais, atuando principalmente nos seguintes temas: venenos animais, Bothrops jararaca, lesões locais, soroterapia, inflamação, edema, Crotalus durissus terrificus, microcirculação, Lonomia obliqua. Lattes
http://servicosweb.cnpq.br/wspessoa/servletrecuperafoto?tipo=1&id=K4707103Y1

Maisa Splendore Della Casa. Tem experiência na área de Imunologia, Bioquímica e Biologia Celular, atuando principalmente nos seguintes temas: 1. Estudo da participação de plaquetas no contexto de progressão tumoral e em patologias dependentes de adesão celular; 2. Estudo do papel de disintegrinas obtidas de venenos de serpentes na inibição de fenômenos patológicos dependentes de adesão celular.Lattes

 

Marcelo Larami Santoro. Tem experiência na área de Hematologia (Hemostasia), com ênfase nos distúrbios da função plaquetária, coagulação sanguínea e fibrinólise em envenenamentos causados por animais peçonhentos. Também se dedica à caracterização das atividades de venenos animais e à hematologia humana e comparativa. Lattes
Mônica Lopes Ferreira. Trabalha na Caracterização toxinológica de venenos e toxinas animais, principalmente de Peixes. Com ênfase nas seguintes áreas: imunologia, farmacologia e bioquímica. Lattes
http://servicosweb.cnpq.br/wspessoa/servletrecuperafoto?tipo=1&id=K4728679U1 Patricia Bianca Clissa. Desenvolve trabalhos voltados à caracterização da lesão local desencadeada por toxinas isoladas de venenos ofídicos, como fosfolipases e metaloproteinases. Para isso utiliza técnicas de purificação de proteínas por cromatografias e caracterização de proteínas purificadas. Verifica o potencial destas toxinas em modelos experimentais in vivo (dosagem de mediadores inflamatórios, atividade miotóxica, atividade hemorrágica e edematogenica) e também em modelos in vitro (atividades das toxinas sobre células endoteliais, ensaios de toxicidade, migração celular, cicatrização de feridas).Lattes
A imagem pode conter: Renata Giorgi, sorrindo, atividades ao ar livre Renata Giorgi. Tem experiência na área de Farmacologia e Patologia, com ênfase em Farmacologia e Fisiopatologia da Inflamação e Dor, atuando principalmente nos seguintes temas: atividade antinociceptiva do veneno de Crotalus durissus terrificus ou do peptídeo sintético do C-terminal da proteína S100A9 murina, neutrófilo e proteína ligante de Cálcio S100A9 no controle da dor inflamatória, hiperalgesia induzida por plaquetas, receptores ativados por proteases (PARs) na hiperalgesia e na resposta inflamatória, fenômenos celulares da resposta inflamatória, ação do peptídeo do C-terminal da S100A9 na angiogênese e progressão tumoral.Lattes
Sandra Coccuzzo Sampaio Vessoni. Investiga a ação da Crotoxina (CTX), principal toxina isolada do veneno de Crotalus durissus terrificus (cascavel) sobre o imunometabolismo, particularmente sobre a função e metabolismo energético de macrófagos e de que forma esta ação imunomoduladora da CTX pode controlar os eventos inflamatórios associados à progressão tumoral. Ainda neste contexto, investiga o efeito direto desta toxina sobre células tumorais, endoteliais e fibroblastos em matriz extracelular 3D, em sistema in vitro biomimético ao microambiente tumoral e as principais vias de sinalização intracelular envolvidas.Lattes
Resultado de imagem para solange serrano instituto butantan

Solange Maria de Toledo Serrano.Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Química de Proteínas e Proteômica, atuando principalmente nos seguintes temas: caracterização biológica e estrutural de enzimas proteolíticas de venenos de serpentes, e proteômica aplicada à caracterização estrutural e à evolução de toxinas animais. Lattes

 

Solange de Castro Afeche. Tem experiência nas áreas de Farmacologia e Fisiologia, com ênfase em Fisiologia Celular, atuando principalmente na caracterização dos processos fisiológicos celulares envolvidos na síntese de melatonina pela glândula pineal. Dedica-se também ao estudo de neurotoxinas animais, em particular de aranhas e serpentes. Atualmente, estuda os efeitos de toxinas fosfolipásicas isoladas do veneno da serpente Micrurus lemniscatus sobre processos de proliferação e morte celular usando os astrócitos em cultura como modelo.Lattes

 

Valquíria Abrão. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Toxinologia, atuando principalmente nas áreas de toxinologia do sistema nervoso central e efeitos perinatais de venenos escorpiônicos.Lattes

 

Foto

Vanessa Rioli Lopes Ferraz. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: enzimologia das metalopeptidases, peptídeos bioativos, expressão de proteínas recombinantes (em bactérias e leveduras).Lattes