Variante XM, nova recombinante da ômicron, é encontrada no estado de SP

Recombinante não deve ser motivo de preocupação; maioria dos casos foi identificada em países europeus


Publicado em: 03/06/2022

Uma nova variante recombinante XM da ômicron foi identificada na 20ª semana epidemiológica pela Rede de Alerta das Variantes do SARS-CoV-2, que é coordenada pelo Instituto Butantan. As amostras foram encontradas em um homem de 28 anos, que vive na Grande São Paulo, e em um idoso de 71 anos, morador de São José do Rio Preto, no interior paulista. 

De acordo com o bioinformata da Rede de Alerta Alex Ranieri, ainda não há informações sobre histórico de vacinação e os sintomas relatados pelos dois homens infectados pela variante. 

A XM é uma recombinante entre a linhagem BA.2 da ômicron e sua sublinhagem BA.1.1. Segundo Alex, ainda são poucos sequenciamentos genéticos da XM reportados em todo o mundo.

“Ainda não temos muito o que falar sobre ela porque só existem 41 sequenciamentos genéticos no mundo e a maioria foi encontrada na Alemanha e no Reino Unido”, completou o bioinformata. 

Aumento dos casos 

Nesta semana, a prefeitura de São Paulo voltou a recomendar o uso de máscaras em locais fechados e escolas, seguindo a orientação do governo estadual, por conta do aumento na positividade dos testes rápidos antígenos para Covid-19. Entre 24 e 30 de abril a taxa era de 4% e, em 30 de maio, a positividade subiu para 18%.

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) registrou aumento das notificações de síndrome gripal e de casos confirmados da Covid-19 a partir da última semana de abril. Na primeira semana de maio, a secretaria identificou aumento de casos de síndrome respiratória aguda pelo vírus do SARS-CoV-2 e aumento de casos em crianças e adolescentes.

Outras variantes recombinantes 

Desde março, a Rede de Alerta vem identificando variantes recombinantes em amostras sequenciadas no estado de São Paulo. A XE foi a primeira a ser encontrada em um homem de 39 anos, morador da cidade de São Paulo e com esquema vacinal completo. A XE é uma combinação das variantes BA.1 e BA.2

Em maio, foram duas recombinantes encontradas pela rede. A XQ, que foi encontrada em amostras de um casal sem esquema vacinal completo, ou seja, sem a terceira dose da vacina na cidade de São Paulo; e a XG, que foi identificada em amostras coletadas de uma mulher de 59 anos, moradora do bairro da Penha na cidade de São Paulo.

É importante ressaltar que essas variantes recombinantes não devem ser motivo para preocupação, mas a população deve aumentar as medidas de proteção dado o aumento de casos registrados. 

“As pessoas não precisam ficar apreensivas com essas recombinantes porque é um processo do vírus que acontece naturalmente. É importante continuar com as medidas de precaução como o uso de máscaras em lugares fechados, lavagem das mãos, uso de álcool gel e seguir a vida tranquilamente”, disse a bioinformata da Rede de Alerta das Variantes, Gabriela Ribeiro.