Três doses de CoronaVac protegem da Covid-19 96,6% dos pacientes com câncer, mostra estudo turco

Duas ou três doses da CoronaVac se mostraram eficazes na proteção de 2 mil pacientes


Publicado em: 20/06/2022

Um estudo realizado na Turquia com pacientes com câncer mostrou que a imunização com três doses de CoronaVac protege 96,6% desse público contra a infecção pelo SARS-CoV-2. O artigo foi publicado na revista Journal of Medical Virology e conduzido pela Faculdade de Medicina da Universidade Bezmialem Vakif, em Istambul, na Turquia.

Os pesquisadores selecionaram 2.578 pacientes com câncer, sendo 60,3% mulheres. Destes, 2.000 nunca tiveram Covid-19, enquanto 578 tinham histórico prévio de infecção. Além disso, 2.094 pessoas (81,2%) haviam sido totalmente imunizadas e 484 (18,8%) não estavam vacinadas ou tomaram apenas a primeira dose. Os participantes tinham recebido CoronaVac ou Pfizer.

Todos os pacientes não vacinados ou com esquema vacinal incompleto tiveram Covid-19, enquanto apenas 94 dos mais de 2 mil imunizados foram infectados, resultando em uma proteção de 95,5%. Os indivíduos que tomaram dose de reforço – no esquema de três doses de CoronaVac, ou duas doses de CoronaVac e a terceira de RNA mensageiro – tiveram ainda menos chance de ter a doença. Entre os que tomaram três doses de CoronaVac (386 indivíduos), a proteção foi de 96,6%.

Outras evidências

Este estudo reforça os resultados de pesquisas anteriores sobre a segurança e eficácia da CoronaVac para os pacientes com câncer. Outro estudo, também feito na Turquia, mostrou que a vacina do Butantan e da Sinovac induz produção de anticorpos em 85,2% dos pacientes. Além disso, uma pesquisa de Hong Kong demonstrou que a CoronaVac é a vacina mais segura para essa população, com a menor incidência de reações adversas, em comparação com imunizantes de RNA mensageiro.

 *Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan