Ômicron continua a ser a variante da Covid-19 predominante no estado de São Paulo, segundo rede de alerta

Variante foi identificada em 99,3% das amostras sequenciadas; 0,35% das amostras de gama e 0,34% de delta


Publicado em: 29/03/2022

A variante ômicron se mantém predominante entre as amostras positivas para a Covid-19 sequenciadas no estado de São Paulo entre os dias 5 e 12/3, na 10ª semana epidemiológica de 2022. É isso que mostra o último boletim epidemiológico da Rede de Alerta das Variantes do SARS-CoV-2, coordenada pelo Instituto Butantan e que acompanha a incidência dos casos positivos de Covid-19 e identifica as variantes mais circulantes no estado. No período, foram identificados mais 389 casos da ômicron na rede de alertas. 

Segundo o boletim, no apanhado de 2022 a ômicron foi identificada em 99,3% das amostras sequenciadas, seguida pela variante gama, encontrada em 0,35% das amostras, e pela delta, em 0,34%.

De acordo com o relatório, na 10º semana epidemiológica a incidência de SARS-CoV-2 apresentou diminuição em oito Distritos Regionais de Saúde (DRSs) (Araçatuba, Barretos, Bauru, Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto) e estabilização em dois DRSs (Grande São Paulo e Campinas). No mesmo período, nos DRSs Araraquara, Baixada Santista, Franca, Presidente Prudente, Registro, Sorocaba e Taubaté não foi realizado sequenciamento genômico.

 

No sequenciamento genômico de 2022 até a 10ª semana epidemiológica já foram sequenciados 6.256 (1,8%) genomas completos de 347.264 (50,3%) casos positivos. 

A rede genômica coordenada pelo Instituto Butantan reúne laboratórios do Estado de São Paulo, a saber, Hemocentro de Ribeirão Preto/FMRP-USP, FZEA-USP/Pirassununga, Centro de Genômica Funcional (ESALQ-USP)/Piracicaba, Faculdade de Ciências Agrônomas –UNESP/Botucatu, FAMERP – São José do Rio Preto, Mendelics (privado) e Centro Analítico de Genômica e Proteômica, Instituto Butantan, com o objetivo de identificar as linhagens do SARS-CoV-2.