Governo de Hong Kong autoriza uso da CoronaVac em crianças a partir de 3 anos

Autoridades aumentam faixa etária infantil elegível como forma de combater a pandemia que ainda preocupa


Publicado em: 16/02/2022

O Governo de Hong Kong anunciou nesta semana que a idade mínima para receber a CoronaVac, vacina do Butantan e da Sinovac, será reduzida para três anos. Crianças e adolescentes de cinco a 17 anos já estavam autorizados a receber o imunizante no território, com intervalo de 28 dias entre as duas doses. 

A decisão foi anunciada no domingo (13) e entrou em vigor na terça (15), após parecer do Painel Consultivo sobre Vacinas Covid-19 do governo ter considerado que “os riscos que a pandemia representa para a comunidade local, bem como os benefícios de reduzir a elegibilidade da vacina para cobrir crianças de três anos a 17 anos superam os riscos”, descreve o documento.

Crianças de três a 17 anos podem receber a CoronaVac ou a vacina Comirnaty, da Pfizer e BioNtech, a partir de então, informou o governo de Hong Kong.

"O governo atribui grande importância à vacinação de crianças. Sob a ameaça representada por cepas de vírus mutantes altamente transmissíveis, pessoas elegíveis, jovens e idosos, devem ser vacinadas o mais rápido possível para autoproteção. Ambas as vacinas Covid-19 disponíveis em Hong Kong são seguras e altamente eficazes na proteção contra doenças graves e morte por infecção por Covid-19", disse um porta-voz do governo.