Estudo mostra 99,9% de efetividade da CoronaVac na Amazônia colombiana

A pesquisa foi desenvolvida com 7.849 pessoas acima de 18 anos vacinadas com a CoronaVac na cidade de Mitú


Publicado em: 28/01/2022

Uma pesquisa publicada na revista Tropical Diseases, Travel Medicine and Vaccines apontou que a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, foi 99,9% efetiva para evitar casos graves da Covid-19 em uma população da região amazônica da Colômbia, além de oferecer proteção de 94,3% contra casos leves da doença.

O estudo descritivo observacional foi conduzido entre fevereiro e agosto de 2021 no município de Mitú, em Vaupés, com 7.849 indivíduos acima de 18 anos imunizados com a CoronaVac – o equivalente a 99% da população. O local foi priorizado na campanha de vacinação devido à proximidade com o estado brasileiro do Amazonas, onde surgiu a variante gama (P.1) do SARS-CoV-2.

As análises mostraram que, após a imunização, 5,7% dos vacinados tiveram Covid-19 e apenas 0,1% precisaram de hospitalização.

Nos infectados com menos de 60 anos (406), 405 desenvolveram sintomas leves e apenas um teve sintomas moderados. Já nos indivíduos idosos (41), 40 apresentaram infecção leve e um teve a doença grave.

 

Queda de casos e de mortalidade

Em maio de 2021, houve um novo pico de 200 casos de Covid-19 em Mitú. “Essa onda foi muito menor do que a de agosto de 2020, quando foram reportados 327 casos”, apontam os pesquisadores no artigo. A taxa de mortalidade também foi reduzida de 2,2% para 0,22% na comparação entre os dois períodos.

Além disso, quando foi atingido o pico de indivíduos imunizados, houve redução de 72% nos casos de Covid-19 no município.

Os cientistas destacam que os casos na população vacinada de Mitú podem ser atribuídos à alta circulação da variante gama na época. No entanto, o estudo mostra que a CoronaVac foi capaz de controlar a gravidade dos casos e a mortalidade relacionadas a essa cepa.

O imunizante do Butantan e da Sinovac representa 40% das vacinas contra Covid-19 utilizadas na Colômbia e já teve mais de 1,8 bilhão de doses aplicadas em todo o mundo. No Brasil, foram 100 milhões de doses. https://butantan.gov.br/noticias/coronavac-e-a-vacina-mais-usada-no-mundo-contra-covid-19--ja-sao-18-bilhao-de-doses-produzidas-24-do-total-de-imunizantes

“Essa plataforma vacinal consiste no vírus SARS-CoV-2 inativado e já teve segurança, efetividade e imunogenicidade comprovadas. A estratégia também foi usada com sucesso em Serrana, no Brasil”, informa o artigo, referindo-se aos resultados do Projeto S, estudo clínico de efetividade conduzido pelo Butantan no município do interior de São Paulo.