CoronaVac, vacina do Butantan e da Sinovac, já é usada em mais de 40 países


Publicado em: 20/09/2021

Desde meados de 2020, a CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac contra o SARS-CoV-2, vem sendo usada em 41 países de todos os continentes. Só na América Latina, o imunizante faz parte do calendário vacinal de Brasil, Uruguai, Chile, Equador, Colômbia, El Salvador, República Dominicana, Venezuela e México. A lista incluiu nações que compraram a vacina diretamente da Sinovac, que a produzem localmente por meio de parcerias (caso do Brasil) ou que receberam doações.

Com mais de 7,5 bilhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aplicadas em todo o planeta, a CoronaVac representa 24% da produção total de imunizantes, respondendo por 1,8 bilhão de doses. Isso significa que a cada quatro doses de imunizantes contra o SARS-CoV-2 aplicadas no mundo, uma é a CoronaVac.

O Brasil começou sua campanha de vacinação em 17 de janeiro, justamente com a CoronaVac. Desta data até setembro, o Butantan entregou ao Ministério da Saúde 100 milhões de doses da vacina para ajudar no combate ao SARS-CoV-2. A CoronaVac é uma das grandes responsáveis pela queda considerável no número de casos e mortes por Covid-19 no Brasil, já que corresponde a pouco menos da metade das 214 milhões de doses de vacina contra a doença aplicadas no país.

O Uruguai já vacinou cerca de 2,6 milhões de pessoas (72% da população) com as duas doses, com 875 mil pessoas (34% do total) recebendo CoronaVac. O Chile imunizou 87% da população com as duas doses – sendo que a maioria dos 26 milhões de vacinados tomaram CoronaVac, segundo o ministro da saúde chileno, Enrique Paris. Atualmente, o país andino vem usando a vacina do Butantan e da Sinovac para imunizar jovens de 12 a 17 anos. O México, com mais de 41 milhões de pessoas vacinadas completamente (32% da população), já aplicou 20 milhões de doses da CoronaVac. Já a Turquia, que começou sua campanha de imunização ainda em 2020, vacinou mais de 100 milhões de cidadãos, e usou mais de 40 milhões de doses da CoronaVac. 

 

Validações internacionais

Em junho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou sua aprovação ao uso emergencial da CoronaVac, dando aos países, financiadores, organismos multilaterais e comunidades sua validação de que o imunizante atende aos padrões internacionais de segurança, eficácia e fabricação. De acordo com a OMS, os resultados globais mostraram que a vacina preveniu doenças sintomáticas e evitou sintomas graves e hospitalizações.

A autorização para uso emergencial concedida pela OMS abriu caminho para que a CoronaVac pudesse ser comprada por outras agências ONU e pela COVID-19 Vaccines Global Access/COVAX Facility – iniciativa da OMS, da Gavi Alliance e da Coalition for Epidemic Preparedness Innovations/CEPI para a aquisição e posterior distribuição de vacinas aos países mais pobres. Em julho, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) assinou um contrato com a Sinovac, por meio do qual a empresa chinesa poderá fornecer até 200 milhões de doses da CoronaVac neste ano.

 

Países que aplicam a CoronaVac em suas populações

Agosto (2020)
China

Dezembro (2020)
Turquia

Janeiro (2021)
Azerbaijão
Brasil
Chile
Indonésia

Fevereiro (2021)
Botswana 
Camboja
China
Equador
Hong Kong 
Laos
Republica dominicana
Tailândia

Março (2021)
Albânia
Colômbia
El Salvador 
Malásia
México
Paraguai
Ucrânia
Uruguai 
Zimbábue 

Abril (2021)
Filipinas
Paquistão

Maio (2021)
Armênia
Georgia
Tunísia

Junho (2021)
Bangladesh
Cazaquistão
Nepal
Timor-Leste 

Julho (2021)
Tanzânia

 

Países que receberam doações da CoronaVac (da China ou Turquia)

Março(2021)
Benin 
Djibuti

Abril (2021)
Líbia

Junho (2021)
Bósnia Herzegovina
Macedônia 
Tajiquistão
Togo

 

Países que receberam doações da CoronaVac (por meio da COVAX Facility)

Agosto (2021)
Argélia

Setembro (2021)
Venezuela