CoronaVac protegeu contra 80% das mortes por Covid-19 na Indonésia

Em indivíduos acima de 50 anos, a proteção chegou a 90%; vacina também preveniu 71% das hospitalizações


Publicado em: 14/02/2022

Uma pesquisa conduzida em Bali, na Indonésia, atestou que a CoronaVac, vacina de vírus inativado do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac, foi capaz de conferir uma proteção de mais de 80% contra mortes relacionadas à Covid-19. O trabalho foi publicado no dia 4/2 na plataforma de preprints MedRxiv e é o primeiro estudo de efetividade do imunizante feito no país – ou seja, com dados de eficácia do mundo real.

Os cientistas analisaram dados de vacinação e de laboratórios de diagnóstico e incluíram no estudo 2.759 pessoas que testaram positivo para Covid-19 entre janeiro e junho de 2021, e 2.759 controles (que não tiveram a doença), todos com idades semelhantes e que foram testados na mesma semana. Dos casos positivos, 40% tinham comorbidades e a maioria não era vacinada (53,8%).

Os resultados apontaram que a CoronaVac teve uma efetividade de 66,7% contra infecções pelo SARS-CoV-2, 71% contra hospitalizações e 87,4% contra mortes. No caso de pessoas acima de 50 anos, a prevenção contra óbitos foi ainda maior, chegando a 90,6%.

A CoronaVac foi a primeira vacina utilizada no programa de imunização contra Covid-19 da Indonésia, em janeiro de 2021. Um estudo clínico de fase 3 conduzido no país já havia mostrado uma eficácia de 65,3% do imunizante contra a doença e soroconversão (produção de anticorpos) em 87% dos vacinados, o que deu suporte para a aprovação de seu uso emergencial.

Estudos conduzidos em outros países, como Chile, Turquia e China, já apresentaram resultados positivos para a CoronaVac. No Brasil, o Projeto S, estudo de efetividade feito pelo Butantan no município de Serrana, em São Paulo, mostrou que a vacina protegeu 80,5% contra casos sintomáticos de Covid-19 e 95% contra hospitalizações e mortes.