CoronaVac induz resposta imune em mais de 80% dos idosos, mostra estudo turco

Soroconversão se manteve alta após três meses; outras pesquisas já provaram eficácia da vacina nessa população


Publicado em: 17/05/2022

Um estudo feito na Turquia com idosos imunizados com CoronaVac voltou a mostrar que a vacina confere alta proteção nesse público, induzindo produção de anticorpos em 80,9% dos indivíduos. O artigo foi publicado na edição de maio da revista Age & Aging e conduzido por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Ancara, capital turca.

Os cientistas avaliaram 497 pacientes idosos com idade média de 72 anos que foram vacinados com CoronaVac. A taxa de soroconversão (indivíduos que produziram anticorpos) após um a dois meses da segunda dose foi de 80,9%, se mantendo alta até o terceiro mês, com 73,2%. 

O estudo também apontou que a presença de comorbidades, como doenças crônicas, pode influenciar na resposta imune, ainda mais em indivíduos mais velhos que já têm o sistema imunológico comprometido naturalmente devido ao envelhecimento. Por isso, é muito importante que essa população receba a dose de reforço. A terceira dose da CoronaVac já se mostrou eficaz para potencializar a imunidade dos idosos, aumentando em quase dez vezes a capacidade neutralizante contra o SARS-CoV-2.

Evidências científicas

Diversos estudos feitos com dados de mundo real já comprovaram que a vacina do Butantan e da Sinovac é segura e protege idosos contra casos graves e mortes. No Projeto S, por exemplo, estudo de efetividade da CoronaVac conduzido em Serrana, interior de São Paulo, o imunizante administrado em idosos protegeu 86,4% contra casos sintomáticos, 96,9% contra hospitalizações e 96,9% contra mortes.

Outro estudo brasileiro feito com 60 milhões de pessoas, baseado nos dados nacionais do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe) do Ministério da Saúde, apontou uma proteção da CoronaVac de 84,2% contra hospitalizações, 80,8% contra internações em UTI e 76,5% contra mortes.

Mais artigos científicos que comprovam a eficácia da vacina especificamente no público de idosos podem ser acessados no Dossiê CoronaVac.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan