CoronaVac induz resposta imune de 98% mesmo após seis meses da segunda dose

Participantes do estudo tiveram amostras de sangue coletadas depois da primeira e segunda dose do imunizante


Publicado em: 27/01/2022

Um estudo publicado no Journal of Medical Virology por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ceará mostrou que quase 98% dos indivíduos imunizados com a CoronaVac continuam produzindo anticorpos neutralizantes contra o vírus SARS-CoV-2 seis meses após completarem o esquema inicial de duas doses da vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac.

Participaram da pesquisa 1.237 profissionais de saúde de 29 instituições do Ceará, sendo 960 participantes (77,6%) do sexo feminino e 277 (22,4%) do sexo masculino, todos com 18 anos ou mais. Os indivíduos foram imunizados com a CoronaVac entre fevereiro e abril de 2021 e tiveram amostras de sangue coletadas após a primeira e segunda doses.

Um mês após a segunda dose, 99,8% dos profissionais de saúde apresentaram soroconversão (produção de anticorpos). Uma avaliação feita seis meses depois com 805 dos participantes mostrou que a positividade de anticorpos se manteve alta, presente em 97,9% dos indivíduos.

De acordo com os autores, “o estudo apresenta evidências de uma resposta imune robusta de anticorpos neutralizantes após duas doses da CoronaVac”, com pequeno decréscimo decorridos seis meses da vacinação.

Os pesquisadores apontam que são necessários mais estudos longitudinais para identificar se os anticorpos continuarão a diminuir ou se irão se estabilizar em um nível mais baixo, além de determinar qual nível de anticorpos é protetor, esclarecendo a necessidade de doses de reforço.

 

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan