Coquetel de anticorpos de vacinados com CoronaVac elimina o vírus e age contra todas as variantes do SARS-CoV-2, mostra estudo


Publicado em: 29/12/2021

Um estudo realizado por pesquisadores chineses e publicado no domingo (26) na plataforma de preprints bioRxiv mostrou que o soro de indivíduos que receberam três doses da CoronaVac, vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac contra a Covid-19, é capaz de neutralizar as variantes de preocupação do vírus SARS-CoV-2, inclusive a ômicron. O estudo foi realizado por pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências, da Academia Militar Chinesa de Ciências, do Instituto Nacional de Controle de Drogas e Alimentos e da Sinovac, entre outros.

Para a análise, os cientistas coletaram soro de dois grupos de voluntários, um deles vacinado com duas doses (60 pessoas) e outro imunizado com três doses (60 pessoas) da CoronaVac. O material foi usado para avaliar os títulos de neutralização contra as variantes ômicron e delta. Nenhum dos voluntários havia sido infectado pelo SARS-CoV-2 antes do estudo. As amostras de sangue foram coletadas quatro semanas após a aplicação da última dose.

Os pesquisadores isolaram 323 anticorpos monoclonais derivados de células B de memória de imunoglobulina (IgG) do soro de quatro voluntários vacinados com três doses da CoronaVac. Eles constataram que metade dos anticorpos derivados de células B reconheceu o domínio de ligação ao receptor (RBD) e mostraram que um subconjunto deles conseguiu neutralizar – de forma potente – todas as variantes de interesse do vírus SARS-CoV-2, incluindo a ômicron.

Dada a amplitude e potência de neutralização dos anticorpos derivados de células B de memória de imunoglobulina, os pesquisadores procuraram a seguir avaliar a correlação entre a neutralização in vitro que havia sido constatada e a proteção in vivo, em cobaias. Para tanto, os 323 anticorpos foram clonados, multiplicados e a seguir purificados, a fim de se obter uma solução que pudesse ser aplicada em modelos animais, que foram infectados com a variante beta do SARS-CoV-2.

Decorridos três a cinco dias da inoculação do vírus, foram aplicadas doses de anticorpos. Uma única dose contendo um anticorpo específico (XGv282) reduziu a quantidade de vírus nos pulmões em cerca de 10 mil vezes. Mais além, uma única dose de um coquetel de quatro anticorpos resultou na eliminação completa de partículas virais.

*Este texto é uma colaboração do jornalista científico Peter Moon para o portal do Butantan