Celebre o Dia Internacional dos Museus conhecendo os museus do Instituto Butantan


Publicado em: 14/05/2021

Todos os anos, o Dia Internacional dos Museus é comemorado em 18 de maio. A data, criada em 1977 pelo Conselho Internacional de Museus, tem como objetivo incentivar o público a apreciar exposições e entender como essas instituições são parte do desenvolvimento da sociedade. Devido à pandemia, muitos deles seguem fechados, mas você pode aproveitar a data para conhecer mais sobre os quatro museus do Butantan: Museu Histórico, Museu Biológico, Museu de Microbiologia e o Museu de Saúde Pública Emílio Ribas.

Cada um com sua identidade, eles contam a história do Instituto desde sua fundação até os dias atuais. Há exposições de diversos animais, equipamentos que foram usados na produção dos primeiros soros e vacinas, ferramentas e utensílios que aguçam o interesse sobre ciência e história e muitos outros assuntos que compõem o vasto acervo de informações do Butantan.

Para discutir o que podemos esperar dos museus diante da tecnologia, em 2021 o tema escolhido mundialmente para celebrar o Dia Internacional é “O Futuro dos Museus: Recuperar e Reimaginar”, que inspirou também a temática da Semana Nacional de Museus, que acontece entre 17 e 23 de maio.

 

Conheça os museus do Instituto Butantan

Museu Biológico

Primeiro museu do Instituto, instalado na antiga cocheira de imunização construída na década de 1920, conta com 87 recintos que abrigam várias espécies de animais, como aranhas, serpentes e escorpiões, além de lagartos, peixes e insetos. A maior parte dos animais que habitam o museu são representantes da fauna brasileira expostos em ambientes que simulam o habitat natural da espécie. Junto a cada recinto, painéis e placas trazem informações específicas sobre veneno e acidentes ocasionados por cada animal. A exposição tem o objetivo de expor a importância desses seres para manutenção do ecossistema. 

 

Museu de Microbiologia

Inaugurado em 2002, o Museu de Microbiologia é o primeiro do gênero na América Latina e traz uma exposição diferente: são diversos exemplares de microorganismos em 3D, interações virtuais, jogos educativos para crianças, painéis sobre a história dos maiores cientistas do Brasil, figurinos usados por médicos da Idade Média e outros materiais que instigam o interesse pela ciência. Ao mostrar equipamentos antigos usados pelos pesquisadores do Butantan, o museu leva o visitante a uma viagem no tempo. Para facilitar a acessibilidade, há várias atividades inclusivas, como maquete tátil, audiodescrição de objetos e folders em braile. 

 

Museu de Saúde Pública Emílio Ribas

Inicialmente, ficava localizado no bairro do Bom Retiro, no prédio do antigo Desinfectório Central, que foi construído em 1893. Em 2010, o museu foi transferido para o parque do Instituto Butantan. Sua coleção contém um grande acervo de documentos e informações sobre saúde pública desde o final do século XIX e começo do século XX. O museu homenageia o médico sanitarista Emílio Ribas, antigo diretor do serviço sanitário do estado de São Paulo e pioneiro na pesquisa e combate à febre amarela. 

 

Museu Histórico

Foi criado em 1981 na cocheira que abrigava o laboratório no qual Vital Brazil (idealizador e primeiro diretor do Instituto, um dos maiores sanitaristas da história do país) desenvolveu suas pesquisas iniciais para a produção de soros antiofídicos. O museu, que tem como objetivo preservar e perpetuar a história da ciência e da saúde, conta a história do Instituto com aparatos que foram utilizados ao longo do tempo. Fazem parte do acervo pisos e paredes originais, instrumentos científicos, equipamentos e mobiliário. 

 

Devido à pandemia do novo coronavírus, os museus estão fechados por tempo indeterminado. Quando este momento passar, você encontrará informações sobre agendamentos de visitas no site do Instituto Butantan.