Butantan aposta em laboratórios de alta tecnologia para se tornar cada vez mais autossuficiente

Plataformas especializadas ampliam o uso de tecnologias e permitem a geração de produtos mais competitivos


Publicado em: 09/05/2022

Não é por ser uma instituição centenária que o Butantan parou no tempo. Muito pelo contrário. Desde sua criação, há mais de 120 anos, o instituto investe em laboratórios com o objetivo de  alcançar o domínio de diferentes tecnologias e ter cada vez mais capacidade competitiva e autossuficiência na realização de projetos ligados ao desenvolvimento de novos imunobiológicos.  

O Centro de Desenvolvimento e Inovação do Butantan (CDI), que reúne 12 laboratórios, trabalha pelo fortalecimento de plataformas tecnológicas, promovendo e acelerando o avanço tecnológico para a elaboração de novas vacinas, soros e medicamentos. 

As plataformas são estruturas específicas que possibilitam o avanço da geração do conhecimento. Elas permitem a realização de ensaios de provas de conceito, o desenvolvimento de novos processos e/ou suas melhorias, a criação de protótipos e o estabelecimento de protocolos produtivos. Assim, geram produtos para testes pré-clínicos e mantêm, em todas as etapas, uma interface com o sistema de qualidade institucional. Desta forma, o conjunto de resultados obtidos pode ser transferido ao setor produtivo e, enfim, chegar ao mercado e à população. 

“O desenvolvimento de uma tecnologia e de um produto passa por diferentes etapas. É um processo complexo que exige uma série de conhecimentos de diversas áreas, mão de obra e infraestrutura especializada, processos escalonáveis, rastreáveis e reprodutíveis. O desenvolvimento também passa por provas de efetividade e segurança, pela análise de viabilidade etc.”, explica a diretora de Desenvolvimento e Inovação do Butantan, Ana Marisa Chudzinski-Tavassi.

Com as plataformas que compõem o CDI, diversos processos tecnológicos que viabilizam a produção de novos itens podem ganhar celeridade. “O Butantan já desenvolve e domina várias tecnologias para a geração de imunobiológicos como vacinas e soros. Trabalhamos no desenvolvimento de vacinas como a da dengue, rotavírus e raiva, e também com antígenos para a produção de vários soros, sendo o último, o anti-SARS-CoV-2. Temos como meta gerar, absorver e aperfeiçoar tecnologias que possam rapidamente responder a necessidades emergenciais e também possam colocar a instituição como um player no cenário mundial no tema inovação”, resume. 

Atualmente, o Butantan conta com um setor de qualidade específico para pesquisa e desenvolvimento, facilitando a realização da transferência das novas tecnologias para o setor produtivo.

“O IB nasceu com o desafio de produzir ciência e tecnologia e oferecer à população produtos necessários para a saúde. Este compromisso é cada vez mais forte no instituto, que se fortalece como uma das instituições-chave dentro do sistema nacional de inovação”, finaliza Ana Marisa.

Conheça as plataformas do CDI: 

Plataforma para Identificação e Validação de Alvos Moleculares - (Screening, Quimioproteômica, proteômica, transcriptômica, CRISPR-RNAi) – Centro de Excelência em Novos Alvos Moleculares (CENTD) 

Plataforma upstream (até 10 L) e downstream para obtenção de protótipos de vacinas de subunidades e moléculas recombinantes a partir de bactérias e/ou leveduras (Boas Práticas de laboratório- BPL – em implantação) - Laboratório de Desenvolvimento de Processos

Plataforma para obtenção e purificação de proteínas com capacidade de produção de moléculas recombinantes em bactérias e leveduras (até 10 L). A Plataforma de purificação trabalha desde a escala analítica até a escala de 10 L. (BPL - em implantação) - Laboratório de Desenvolvimento e Inovação 

Plataforma de utilização de microrganismos - leveduras e bactérias - em processos upstream (fermentação até 60 L) e downstream para obtenção de protótipos de biofármacos e vacinas de subunidades ou moléculas recombinantes, em quantidade e qualidade para ensaios não clínicos e clínicos de fase 1 e 2. Operação em condições de Boas Práticas de Fabricação (BPF) – Laboratório Piloto de Recombinantes  

Plataforma para produção de vacinas e antígenos virais em células de linhagem contínua, em pequena e média escala, produção de bancos de células e bancos de vírus de interesse vacinal (operação em BPF) - Laboratório Piloto de Vacinas Virais

Plataforma upstream (até 10 L) e downstream para obtenção de protótipos de vacinas virais e vetores virais (BPL – em implantação) – Laboratório Piloto Multipropósito 1

Plataforma upstream (até 50 L) e downstream para obtenção de protótipos de vacinas virais, vetores virais e moléculas recombinantes a partir de células eucarióticas para ensaios clínicos fase 1 e 2 - Laboratório Piloto Multipropósito 2 – Operação em BPF  ( laboratório em construção)

Plataforma Ensaios Pré-clínicos de Segurança: ensaios de toxicidade, farmacológicos e de imunogenicidade em modelos animais.  Setor de operação em contenção NB3 (BPL – em implantação) - Laboratório de Desenvolvimento e Inovação 

Plataforma para provas de conceito e ensaios pré-clínicos focados em dor e analgesia - Laboratório de Dor e Sinalização 

Plataforma de Bioinformática:  capacidade computacional para a predição de antígenos in sillico – Laboratórios de Genética e CENTD

Plataforma Anticorpos Monoclonais: descoberta e desenvolvimento de anticorpos monoclonais humanos com potencial terapêutico: conta com biorreatores até 250 L para lotes de engenharia - Laboratório de Biofármacos

Plataforma NB3 – Geração de bancos de vírus patogênicos, antígenos para a produção de soros hiperimunes e desenvolvimento inicial de vacinas de vírus (Operação em BPF): (laboratório em construção) – Laboratório de Desenvolvimento e Inovação

Plataforma Vacinas mRNA - Consórcio de laboratórios dedicados ao estudo e propostas de vacinas de mRNA. Laboratórios: Genética, Biotecnologia Viral, Multipropósito, Virologia

Plataforma de avaliação de imunobiológicos: descoberta e desenvolvimento de moléculas para a produção de imunobiológicos e avaliação imunoquímica de antígenos - Laboratório de Imunoquímica